19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Ministro das Infraestruturas recebe autarcas de Setúbal, Grândola e Alcácer

Ministro das Infraestruturas recebe autarcas de Setúbal, Grândola e Alcácer

Ministro das Infraestruturas recebe autarcas de Setúbal, Grândola e Alcácer

João Galamba responde amanhã ao pedido dos autarcas, que querem extensão do passe Navegante à travessia fluvial do rio Sado

 

Os presidentes das Câmaras Municipais de Setúbal, Alcácer e Grândola reúnem amanhã com o ministro das Infraestruturas, João Galamba. O membro do Governo responde ao pedido dos autarcas no Ministério, pelas 15h00, para debater a questão da travessia fluvial entre Setúbal e Troia.

- PUB -

Os líderes autárquicos querem a extensão do passe Navegante à travessia fluvial do rio Sado, entre Setúbal e Tróia, que está concessionada à empresa privada Atlantic Ferries, do grupo Sonae, e que, desde 2007, sofreu aumentos nas tarifas superiores a 300 por cento.

Os autarcas já haviam exposto o seu ponto de vista, em conferência de Imprensa no Forte de São Filipe, onde enalteceram que os transportes fluviais entre Setúbal e Tróia deveriam também passar a ser assegurados por uma empresa pública.

Os três presidentes defenderam a necessidade de se acabar com o elevado custo do transporte fluvial entre as duas margens do Sado, que dizem ter graves consequências económicas, ambientais e sociais para as populações de Setúbal e do Litoral Alentejano.

- PUB -

Os autarcas dos três concelhos de maioria CDU consideraram que “a Área Metropolitana de Lisboa (AML) deve equacionar, como, aliás, tem sido defendido nos últimos anos, a possibilidade de associar o passe Navegante a esta travessia”.

Para os presidentes dos três municípios, André Martins (Setúbal), Vítor Proença (Alcácer do Sal) e Figueira Mendes (Grândola), a travessia do rio Sado é uma ligação essencial ao desenvolvimento económico e à coesão social de toda a região, mas o custo das viagens está a ser penalizador para as actividades económicas, bem como para as populações do Litoral Alentejano.

Recentemente os deputados do PS eleitos pelo círculo de Setúbal também questionaram o ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, sobre a inclusão da viagem Setúbal-Tróia no tarifário da Área Metropolitana de Lisboa.

- PUB -

Petição com mais de 8000 assinaturas a caminho da Assembleia

Após uma solicitação feita junto do gabinete do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, por peticionários e promotores da petição pública, com mais de 8000 assinaturas, uma comitiva será recebida pela vice-presidente da Assembleia República, Edite Estrela, em representação do presidente da Assembleia da República, nesta quinta-feira, dia 19, pelas 16h00, na Assembleia da República.

Ainda no mesmo dia, a mesma comitiva reunirá com representantes dos grupos parlamentares do Partido Socialista (PS), Partido Comunista Português (PCP) e Bloco de Esquerda (BE), estando ainda agendada uma reunião com o Partido Chega, dia 23 deste mês.

Esta petição pública, denominada pela “inclusão da Travessia Fluvial Setúbal -Tróia no sistema tarifário da Área Metropolitana de Lisboa no Passe Navegante”, pretende que as viagens na travessia fluvial Setúbal-Tróia sejam incluídas no passe Navegante.

O documento acusa as empresas concessoras de transportes fluviais de fixar os “preços incomportáveis para a generalidade das pessoas residentes em Setúbal, que assim deixaram de poder usufruir da praia de Tróia”.

Dizem ainda que os valores praticados são muito superiores aos que a Transtejo e a Soflusa cobram para distâncias maiores. Assim pedem que a praia, que fica “defronte da cidade de Setúbal, numa distância inferior a 1 km” possa ser devolvida aos seus visitantes através da inclusão das viagens no passe Navegante.

 

Viagem de família com carro equivale a voo ‘lowcost’

Em 16 anos, o preço do bilhete no ferryboat, para uma viatura ligeira com condutor, aumentou de 5,70 euros, em 2007, para 19,60 euros. O segundo passageiro paga mais 5,60 euros e os restantes que viajarem na mesma viatura pagam 4,30 euros cada um.

Ou seja, cada viatura, com condutor incluído, paga 39,20 euros por uma viagem de ida e volta, mas, se o veículo, além do condutor, transportar mais três passageiros, o custo da viagem de ida e volta sobe para 67,60 euros, valor considerado muito elevado para a maioria da população.

Um valor que ultrapassa o de algumas viagens para destinos europeus em companhias de aviação `lowcost´, afirmaram os presidentes das câmaras de Setúbal e de Alcácer do Sal.

Quanto aos catamarans, que transportam apenas passageiros, o bilhete individual, de ida e volta, custa 8,80 euros.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -