19 Maio 2024, Domingo

- PUB -
Mares Circulares premeia soluções e tecnologias inovadoras de combate ao lixo marinho

Mares Circulares premeia soluções e tecnologias inovadoras de combate ao lixo marinho

Mares Circulares premeia soluções e tecnologias inovadoras de combate ao lixo marinho

“BLOCOYSTER” e “SeaPlastic4Vin” são os projectos vencedores da sexta edição do Concurso Mares Circulares

 

“BLOCOYSTER” e “SeaPlastic4Vin” são os dois projetos vencedores da sexta edição do Concurso Mares Circulares, nas categorias Centros de Investigação e Start Ups, respectivamente.

Pelo sexto ano consecutivo, programa apoia o desenvolvimento de soluções e tecnologias inovadoras de combate ao lixo marinho. Os projectos premiados recebem verba de 7.000 euros para prosseguirem implementação dos projetos de investigação

A Mares Circulares, iniciativa promovida pela Coca-Cola em parceria com a Liga para a Protecção da Natureza (LPN), tem como objectivo apoiar o desenvolvimento de soluções e tecnologias inovadoras que promovam a economia circular na luta contra os resíduos nos mares, oceanos e ambientes fluviais.

O projeto “BLOCOYSTER – Blocos sustentáveis com a incorporação de resíduos de aquicultura” contribui para a economia azul sustentável com a redução da poluição causada pelos resíduos da aquicultura no meio ambiente.  Através da utilização das conchas de ostra na produção de blocos de construção, aposta numa solução com materiais locais, aumentando a cadeia de valor e reduzindo a pegada de carbono. Este projecto promove a circularidade entre sectores económicos, aproveitando os resíduos de bivalves do sector marítimo para a criação de novos produtos no sector da construção.

O projecto “SeaPlastic4Vin – Produção de filamento híbrido de plástico reciclado para produção de ecoprodutos da industria vinícola” tem como objectivo o desenvolvimento de uma metodologia híbrida de produção de filamento plástico reciclado, obtido a partir da combinação de grânulos de resíduos plásticos marinhos recuperados de praias, com grânulos de bioplásticos produzidos a partir de resíduos vinícolas. Este filamento permitirá a produção de ecoprodutos, copos, packaging, por exemplo recorrendo à manufatura aditiva, por utilização de equipamentos de impressão 3D.

Apesar do Programa Mares Circulares ter uma implementação ibérica, a sexta edição do prémio teve pela primeira vez júris e premiados destintos em cada um dois países.

As propostas nacionais foram avaliadas por um júri português composto por Rúben Eiras, secretário geral do Fórum Oceano; Raquel Costa, expert de Literacia do Oceano e co-coordenadora da Rede Escola Azul Atlântica, da IOC – UNESCO; Mário Verde Pereira, professor do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.

Manuel Bastos, Sustainability & Projects Manager da Coca-Cola Europacific Partners Portugal, frisa a importância de “concentrar esforços na eliminação dos resíduos marinhos e no desenvolvimento de uma economia circular”, através da “sensibilização para a necessidade de recolher e reciclar os resíduos para que não acabe nos nossos mares, e promovendo soluções de reutilizáveis ou de reincorporação”.

Estes Prémios promovidos por Mares Circulares, explica, “pretendem reconhecer e apoiar iniciativas que procuram avançar na circularidade destes resíduos para os converter em novos materiais que nos ajudem a desenvolver um modelo económico mais sustentável e que respeite o nosso ambiente”.

Ana Sofia Ribeiro, Coordenadora do Departamento de Sensibilização, Educação e Formação Ambiental da LPN salienta a importância de apoiar iniciativas e projectos inovadores que promovam uma maior sustentabilidade ambiental e que vão ao encontro de uma economia cada vez mais circular. “Com a atribuição dos Prémios Mares Circulares pretendemos fomentar o interesse na sociedade, principalmente a nível empresarial e educacional, em pesquisar e propor soluções para o problema dos resíduos.”

A Mares Circulares é uma iniciativa promovida pela Coca-Cola em Espanha e Portugal, em parceria com as associações Chelonia e Vertidos Cero, a Fundação Ecomar e a Liga para a Protecção da Natureza (LPN). A Mares Circulares arrancou em 2018 e, em termos globais  em ambos os países, desenvolveu 619 intervenções em praias e ambientes aquáticos.

Actua anualmente para contribuir para a conservação de 11 reservas marinhas e 10 áreas da Rede Natura 2000, e colabora com 18 portos ibéricos. Para tal, contou com a ajuda de cerca de 40 mil voluntários e a colaboração de mais de 1200 parceiros como câmaras municipais e entidades públicas e privadas que apoiaram as iniciativas desenvolvidas nos diferentes municípios.

Desde a sua criação apoiou a promoção de 16 estudos científicos e 8 ‘start-ups’ que propuseram soluções de economia circular para combater o problema da chegada de resíduos aos mares e outros espaços aquáticos.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -