23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Clássica da Arrábida em ciclismo foi apresentada ontem e vai para a estrada a 17 de Março

Clássica da Arrábida em ciclismo foi apresentada ontem e vai para a estrada a 17 de Março

Clássica da Arrábida em ciclismo foi apresentada ontem e vai para a estrada a 17 de Março

A partida é em Setúbal, passa por Sesimbra e termina à tarde em Palmela. Autarcas destacam a prova na promoção da Arrábida

 

- PUB -

“Esta prova é muito importante para o calendário do ciclismo nacional”. Uma afirmação do ciclista profissional Rafael Reis, da equipa Sabgal / Anicolor, durante a apresentação da 7.ª edição da Clássica da Arrábida, ontem em Sesimbra, no Hotel do Mar. “Este ano o percurso é menos difícil [que nas edições anteriores], mas no final pode haver espectáculo”, adiantou o atleta nascido em Setúbal e que vive em Palmela.

Marcada para 17 de Março, com início às 11h30 em Setúbal, concentração no Largo José Afonso, e chegada prevista para as 15h43 em Palmela, a prova vai passar também pela marginal de Sesimbra. Três municípios ligados pela Serra da Arrábida; território natural, de características únicas, que dá nome a esta competição.

A Clássica da Arrábida, que está inscrita no calendário da União Ciclista Internacional e conta para a Taça de Portugal, este ano inclui no pelotão 16 equipas das melhores formações nacionais, e quatro estrangeiras – entre Espanha, Polónia e Alemanha. O traçado vai ter três prémios de Montanha: Meco, Sesimbra e Alto das Necessidades, adiantou João Serralheiro da organização da prova.

- PUB -

Realçou ainda a iniciativa Open Arrábida, inserida na ‘festa’ da Clássica de Arrábida, que “pretende incentivar as crianças a andarem de bicicleta e aderirem à prática de ciclismo”. Vai realizar-se em três dias, um por concelho, a 17 de Março, 6 de Abril e 14 de Abril.

Também presente no Hotel do Mar, ao lado dos presidentes das câmaras de Sesimbra, Francisco Jesus, Palmela, Álvaro Amaro, e do responsável pelo pelouro do Desporto de Setúbal, Pedro Pina, Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, focou a Clássica como uma prova “muito exigente”, que “promove a marca Arrábida” e coloca a região “no radar do turismo e do desporto”.

“É um projecto que nos apaixona e uma prova de prestígio que conjuga as vertentes desportivas, educativa e turística”, disse ainda realçando o envolvimento dos três concelhos na promoção deste território “único e dos mais apetecíveis da região de Lisboa”.

- PUB -

O papel preponderante, a vários níveis, da Clássica da Arrábida foi também destacado pelo presidente da Câmara de Sesimbra, que apontou a prova pela sua força na “promoção do território partilhado pelos três municípios, e faz parte de uma estratégia e visão comuns”. Francisco Jesus sugeriu ainda que os três municípios, todos eles geridos pela CDU, continuassem com os projectos que já desenvolvem conjuntamente no território da Arrábida e acrescentassem outras acções conjuntas.

Lembrou o presidente, que a 5 de Abril será assinado um memorando de entendimento para a neutralidade carbónica, documento este que vai envolver Sesimbra, Palmela e Setúbal, e inclui a apresentação de uma candidatura da Arrábida a Reserva da Biosfera, já em 2024.

Francisco Jesus destacou ainda a importância desta prova para a promoção de modos de mobilidade mais suaves, divulgação dos percursos da região, e incentivo ao uso da bicicleta pelos jovens.

A estratégia comum pela projecção nacional e internacional da Arrábida dominou também as intervenções do presidente da Câmara Municipal de Palmela e do vereador do Pelouro do Desporto da Câmara de Setúbal.

“Este território é muito procurado, por isso temos de ser mais ambiciosos e ir além dos três concelhos; envolver a Entidade Regional de Turismo”, sugeriu Álvaro Amaro. E, referindo-se concretamente à Clássica, vincou a importância desta prova na “promoção de uma marca que se consolida”: a Arrábida.

Por sua vez, Pedro Pina referiu que a Clássica da Arrábida “é um cartão de visita” que “concilia o que a Arrábida tem de melhor”. E acrescentou: “É um evento incontornável no ciclismo em que vale a pena acreditar, investir e valorizar”, e que “demonstra a união entre os três municípios”.

A organização da Clássica da Arrábida está a cargo da Federação Portuguesa de Ciclismo e empresa Lima & Limão Cycling Services, com apoio das câmaras municipais de Sesimbra, Setúbal e Palmela, e diversas entidades.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -