26 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Autarquia com nova aposta ambiental em rede de oleões

Autarquia com nova aposta ambiental em rede de oleões

Autarquia com nova aposta ambiental em rede de oleões

Objectivo do município passa por contribuir para aumento da reciclagem e melhoria da limpeza urbana

O contributo da nova rede de 69 contentores para recolha de óleos alimentares usados para o “incremento da sustentabilidade e imagem urbana no concelho” foi realçado na tarde desta quarta-feira pelo presidente da Câmara Municipal de Setúbal, após a apresentação desta nova aposta ambiental da autarquia.

- PUB -

“Estamos a disciplinar mais este fluxo de resíduos urbanos em Setúbal, disponibilizando a todos os setubalenses e azeitonenses um sistema de recolha inovador que vai contribuir para o aumento da reciclagem e a melhoria da limpeza urbana”, afirmou o edil.

O autarca sublinhou que esta nova rede de contentores, composta por um total de 69 ‘oleões’ instalados nas cinco freguesias do território, promove também a “valorização dos óleos alimentares usados” enquanto “recurso energético, ao ser transformado em biocombustível e posteriormente misturado com os combustíveis convencionais”.

Em nota de Imprensa, a autarquia explica que a rede de recolha de óleos alimentares usados, que “permite o encaminhamento destes resíduos para reciclagem e produção de biocombustíveis”, está distribuída por todo o concelho – 12 em Azeitão, 6 em Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, 15 no Sado, 20 em São Sebastião e 16 na União das Freguesias de Setúbal – num total de 69.

- PUB -

A gestão desta rede está a cargo dos Serviços Municipalizados de Setúbal (SMS) que, através de um “sistema de gestão inteligente”, consegue aceder em tempo real aos níveis de enchimento de cada um dos ‘oleões’, “garantindo-se, desta forma, que a recolha é feita antes dos contentores estarem completamente cheios”, esclarece o município.

“Têm sensores de enchimento que permitem visualizar a capacidade disponível do contentor e optimizar a recolha, de modo que não existam contentores a abarrotar, o que impossibilita a deposição por parte dos munícipes”, sublinhou o vereador Carlos Rabaçal, presidente do Conselho de Administração dos SMS.

Estes contentores são “autónomos em termos energéticos”, uma vez que “dispõem de painéis solares”, colmatam “uma necessidade que estava identificada desde que os SMS foram reactivados” e “constituem uma solução ambiental” que, no entender de Carlos Rabaçal, vai “motivar a população para a reciclagem destes resíduos”. 

- PUB -

Esta utilização é “simples”, de acordo com a autarquia, devendo os munícipes “depositar nos contentores apenas óleos alimentares usados, arrefecidos, numa garrafa ou garrafão de plástico bem fechados, sendo que ficam de fora deste circuito de recolha sustentável óleos de motor, lubrificantes ou outros óleos minerais”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -