1 Abril 2023, Sábado
- PUB -
InícioLocalSetúbalMinistra do Trabalho revela que crescimento do País depende da capacidade para...

Ministra do Trabalho revela que crescimento do País depende da capacidade para fixar jovens

Ana Mendes Godinho lembrou que PRR dedica “uma grande parte do seu investimento à formação”

 

- PUB -

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social participou esta segunda-feira na sessão de abertura da Semana da Empregabilidade do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), durante a qual explicou que o crescimento do País “depende mesmo da capacidade que tiver de criar condições para que a decisão [dos jovens] seja trabalhar em Portugal”.

“Acho que é evidente o poder que a formação e as qualificações têm de transformação de vidas, das empresas e do País. As empresas precisam decisivamente dos jovens para conseguirem crescer”, explicou Ana Mendes Godinho, depois de lembrar que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) “dedicou uma grande parte do seu investimento à formação”. “Temos cerca de 1.500 milhões de euros dedicados à formação do PRR”, frisou a governante. Em seguida, destacou a importância da realização de eventos como a Semana da Empregabilidade, que “liga o mundo das empresas ao mundo da formação”.

“Estamos hoje, de forma simbólica, a celebrar aquilo que é o motor transformador das nossas vidas, que são as qualificações e a formação. Hoje todos os países disputam e digladiam-se por conseguir atrair e fixar jovens. Hoje estamos aqui a dizer a todos vós: por favor apostem e trabalhem em Portugal. Portugal precisa de vós, porque é cada um de vós que está nesta sala que vai fazer a diferença na nossa vida colectiva”, frisou.

- PUB -

Na sua intervenção, Ana Mendes Godinho explicou ainda que o Governo está “a colocar no terreno a agenda do trabalho digno”. “É uma agenda que aposta em dar poder aos jovens para decidirem e para que seja aqui em Portugal que ficam a trabalhar”, salientou. Já a presidente do IPS destacou “os dados da empregabilidade dos diplomados”. “Somos o segundo politécnico com a maior taxa de empregabilidade (96,6%), tendo alguns cursos uma taxa de 100%”, salientou Ângela Lemos.

“O ensino superior e, nomeadamente o Politécnico de Setúbal, está comprometido para o desenvolvimento de um País com políticas promotoras do trabalho digno em todas as suas dimensões, promovendo o combate à precariedade das relações laborais e a promoção do emprego mais inclusivo”, garantiu.

A concluir, a presidente do IPS afirmou que “a Semana da Empregabilidade pretende contribuir e apoiar o desenvolvimento regional, oferecendo aos estudantes, diplomados e entidades empregadores momentos e espaços de construção de relações”.

- PUB -

Na sessão de abertura da nona edição da Semana da Empregabilidade, o presidente da Associação de Estudantes do IPS, Ivan Svac, aproveitou para deixar uma garantia: “Neste instituto estão estudantes de qualidade, que primam pelos seus conhecimentos, entrega e dedicação e capacidade, que serão uma mais-valia para qualquer empresa”. Conferência explica como atrair e reter o talento jovem A manhã de ontem ficou ainda marcada pela realização da conferência “O emprego jovem: como atrair e reter o talento”, moderada por Francisco Alves Rito, director de O SETUBALENSE.

Na iniciativa, Hugo Protázio, director de recursos humanos da JCDecaux, revelou que “para as empresas é importante perceber o que são os jovens hoje”. “Estes jovens gostam de aprender, trazem valor acrescentado, têm uma opinião fundamentada, são autónomos e têm uma ideia clara do que querem fazer”, salientou. Sobre “como atrair e como se retêm os jovens”, referiu que “ter uma marca empregadora forte ajuda”, assim como “ter um programa de onborading robusto, onde a pessoa que entra consiga perceber a cultura da empresa e como são as pessoas que lá trabalham”.

Já Isabel Roseiro, directora de marketing e comunicação da Randstad Portugal, começou por fazer uma caracterização do mercado de trabalho em Portugal. “Ter formação académica é crucial para se entrar no mercado de trabalho. É muito importante conseguirmos falar convosco e chegar àquilo que são as vossas expectativas para com as empresas e empregadores”, salientou.

Enquanto isso, João Carlos Costa, da Associação da Indústria da Península de Setúbal (AISET), destacou a promoção das profissões ligadas à indústria junto da população escolar e a atractividade do País, das empresas e da região para a contratação de jovens. “Para a maior parte de vocês, a indústria não deve a actividade mais sexy que existe, mas a indústria hoje não é uma indústria de há 30 anos.

As questões do bem-estar e de sentir bem na empresa vão estar cada vez mais no foco e na prioridade da indústria”, disse. A Semana da Empregabilidade, que arrancou ontem e vai estar a decorrer até dia 10, “conta com a participação de mais de 120 empresas e organizações, através de sessões de apresentação e de recrutamento, abrangendo as diferentes áreas de formação do IPS”. Para amanhã está agendada a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, que vai intervir, pelas 16 horas, na abertura da Feira de Emprego, a decorrer até quinta-feira.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Chegou a hora de Setúbal

Setúbal é um distrito único. Em pouco mais de cinco mil quilómetros quadrados combina o que poucos países oferecem em todo o seu território. A maior praia da Europa e a maior empresa exportadora de Portugal.

Estrutura em forma de peixe é inaugurada este sábado na Avenida Luísa Todi

"O Peixe" é o novo espaço físico da Setúbal Souv, uma loja que vende lembranças inspiradas na história da cidade sadina

“A minha saída nada tem de misterioso porque nunca fui o treinador principal”

Paulo Catarino, ex-técnico do Comércio Indústria considera que o seu contributo estava esgotado e que a sua vida é mais importante que ser treinador de futebol.
- PUB -