5 Dezembro 2021, Domingo
- PUB -
InícioLocalSetúbalBloco de Esquerda apoia “coragem” dos trabalhadores da Ascenza e Lisnave na...

Bloco de Esquerda apoia “coragem” dos trabalhadores da Ascenza e Lisnave na luta pelo trabalho com direitos

A “lei da selva e o medo nas empresas tem sido a opção em muitos locais de trabalho em Setúbal”, afirma a coordenadora bloquista

 

- PUB -

A Coordenadora Concelhia do Bloco de Esquerda de Setúbal afirma-se “solidária” com as greves dos trabalhadores da Ascenza/Sapec e da Lisnave, uma que começou a 21 de Outubro e outra de 31 de Outubro até 2 de Novembro, respectivamente.

“Impor a lei da selva e o medo nas empresas tem sido a opção em muitos locais de trabalho em Setúbal, como por todo o País”, denuncia em comunicado a estrutura política bloquista.

Para o BE, estas recentes greves reflectem a “vontade dos trabalhadores de lutarem pela dignidade e legalidade nas relações laborais, rejeitando a ideologia neo-escravagista do patronato e dos seus servidores no poder político”.

- PUB -

Demonstram ainda, a “coragem” destes trabalhadores de lutarem pelo “trabalho com direitos” e a “absoluta necessidade de romper com o modelo vigente de precariedade, baixos salários e desemprego, e a urgência de apostar na valorização do trabalho, criando emprego com vínculos estáveis, salários dignos, e respeitando os direitos dos trabalhadores”.

Apontando o caso da Ascenza (ex-Sapec), sublinha a nota de Imprensa da coordenadora bloquista que a acção grevista “é considerada histórica” por “quebrar o clima de intimidação e medo que reina há cerca de 40 anos na empresa”.

Um protesto onde foi exigido que seja cumprido o “contrato colectivo de trabalho do sector químico, subscrito pela Fiequimetal”, e vincou a reivindicação pela “alteração dos horários de trabalho em regime de laboração contínua, a valorização das carreiras profissionais”, assim como os “respectivos ajustes salariais”, melhores condições de segurança e saúde no trabalho”.

- PUB -

No caso dos trabalhadores do estaleiro naval da Lisnave, lembra o Bloco que o período de greve ao trabalho suplementar – pago e não pago -, e ao trabalho normal, teve “uma adesão superior a 80%” e culminou com uma concentração no exterior do estaleiro.

Na agenda dos protestos esteve a “eliminação do regime de adaptabilidade”, assim constava do pré-aviso de greve emitido pelo SITE Sul, o que abrange, “para lá do horário normal, também todo o trabalho suplementar, incluindo o prestado no regime ‘à borla’, imposto pela administração no momento da admissão dos trabalhadores”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Tribunal reconhece direito de retenção de casas a famílias de Azeitão após falência de cooperativa

Decisão reconhece que famílias têm os seus créditos "garantidos" e "reconhecidos" pelos montantes que já pagaram, e que, como “consumidores” e por "tradição", têm...

Caso de gripe das aves detectado em Palmela

A DGAV lembrou que não existem evidências de que a gripe aviária seja transmitida para os humanos através do consumo de alimentos, como carne de aves de capoeira ou ovos

Novas máquinas permitem emitir ou carregar cartão Navegante em apenas “um minuto”

Para já, encontra-se disponível um equipamento em cada um dos nove concelhos do Distrito que integram a AML   Os passes de transportes públicos Navegante podem...
- PUB -