28 Setembro 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalAssociação Setúbal Voz promove recital de ópera, com o barítono João oliveira...

Associação Setúbal Voz promove recital de ópera, com o barítono João oliveira  

Quinto recital do ciclo ‘Convento com Vida’, na Igreja do Convento de Jesus

 

A Associação Setúbal Voz (ASV), através do seu Ateliê de Ópera de Setúbal, promoveu, na noite deste sábado, o quinto recital, como de ópera, como habitualmente na Igreja do Convento de Jesus, inserido no programa ‘Convento com Vida’, com o patrocínio da Câmara Municipal de Setúbal.

- PUB -

Este quinto recital contou com a participação do barítono João Oliveira, acompanhado ao piano por João Malha, também com a participação da actriz Sara Túbio Costa e da soprano Salomé Cunha.

João Oliveira interpretou obras de Mozart, Handel, Stradella, Fouré e Jorge Salgueiro. João Malha tocou a peça de sua autoria intitulada, “A Inexorável Via do Tempo”.

“Estes recitais constituem importantes etapas para o desenvolvimento cultural de Setúbal, sabendo-se que a ASV evidencia um forte empenho nesse sentido. A nossa Associação foi uma das entidades culturais que mais actuações teve em tempos de Covid, nomeadamente ‘Os Fantasmas de Luísa Todi’, ‘Nessun Dorma’, actuação inserida nas cerimónias referentes à reabertura ao público do Convento de Jesus, ‘A Casa de Emília’, ‘A Vingança’, ‘Amor, Ópera e Carnaval’, ‘Bandeiras da Liberdade’, ‘Penitência à Virgem das Águas’, ‘A Nave dos Diabos’, bem como estes cinco recitais”, declarou o maestro Jorge Salgueiro, director artístico da ASV, a O SETUBALENSE.

- PUB -

Os recitais ocorrem regularmente no primeiro sábado de cada mês, pelas 11h30.

A Associação Setúbal Voz integra o Coro Setúbal Voz, o Ateliê de Ópera de Setúbal e a Companhia de Ópera de Setúbal.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Transportes em Setúbal: “Isto não está mau. Está péssimo!”

Reuniões com a população expõem drama de grandes dimensões contado em testemunhos trágico-cómicos

Autoeuropa com legionella não pára produção nem avisa trabalhadores

Empresa diz que nenhuma pessoa foi infectada e que está a cumprir a lei

“Reunião” dos bombeiros acaba à chapada e ao pontapé com a PSP a ser chamada ao quartel [corrigida]

Demissões na direcção culminaram com agressões físicas entre bombeiros, entre directores, e entre bombeiros e dirigentes
- PUB -