28 Novembro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalSetúbalOito famílias protestaram frente a edifício da CM Setúbal por suposto desalojamento

Oito famílias protestaram frente a edifício da CM Setúbal por suposto desalojamento

Na sexta-feira, frente ao Edifício Sado, da Câmara Municipal de Setúbal, várias famílias protestaram devido ao facto de terem sido alegadamente despejadas dos sítios onde vivem.

- PUB -

Os oito casais e cerca de vinte crianças que vivem na Rua do Eito, em Setúbal, admitem ter ocupado as casas devolutas “há cerca de dois ou três anos” e garantem ter mantido “sempre o contacto” com a autarquia.

José, de 25 anos, contou a O SETUBALENSE que já não têm água nem electricidade, e que a “Dra. Raquel Levy, responsável pela habitação social” os informou de que teriam de sair.

“Caso contrário vai lá a polícia tirar-nos à força ou que metia um processo contra nós. Disseram que precisavam das casas e que tínhamos de ir para a rua”, acrescentou.

- PUB -

José explicou ainda que o grupo chegou efectivamente à fala com a responsável pela habitação social, que terá afirmado que “a responsável era a presidente da CM Setúbal”, à qual teriam de pedir explicações.

Acrescenta ainda que “há um mês” lhes foi dito que “ninguém iria para a rua”. “Não queremos casas novas, só não queremos sair dali”, finalizou, diante das cerca de duas dezenas de pessoas que gritavam palavras de protesto junto ao edifício.

O SETUBALENSE pediu esclarecimentos à CM Setúbal, que respondeu nada ter a dizer sobre a situação.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Corpo do chefe dos Bombeiros Sapadores de Setúbal encontrado na Praia da Torre em Grândola

Identificação do corpo terá sido feita por familiares na morgue, onde será realizada a autópsia, não havendo, até ao momento, indícios de crime 

Cadáver de homem encontrado esta manhã na praia da Torre em Grândola

Corpo deu à costa no Carvalhal, havendo suspeitas de tratar-se de Manuel Arrábida, chefe dos Bombeiros Sapadores de Setúbal desaparecido há sete dias

“Tenho a vida completamente destruída”

Os relatos dos funcionários da Palvidas, que mesmo sem ordenados aparecem no trabalho por apreço aos doentes que transportam
- PUB -