12 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Sete grupos de teatro amador estreiam primeira edição do Seixal Entreteias

Sete grupos de teatro amador estreiam primeira edição do Seixal Entreteias

Sete grupos de teatro amador estreiam primeira edição do Seixal Entreteias

Comédias, dramas e sátiras vão abordar temas sociais desde o 25 de Abril de 1974 até aos dias de hoje

Integrado Plano Municipal de Desenvolvimento do Teatro, o Entreteias – Encontro de Teatro do Seixal é uma nova iniciativa organizada pela Câmara Municipal com o objectivo de “promover e valorizar os grupos e companhias de teatro amador do concelho”, define a autarquia sobre estes dias de palco.

- PUB -

Na primeira edição vão participar sete grupos de teatro amador, que vão apresentar comédias, dramas e sátiras, “abordando temas que vão do 25 de Abril de 1974, passando pelos tempos de escola, pelas histórias infantis, até à sociedade dos dias de hoje”.

Com um programa de entrada livre, a primeira peça vai estar em palco a 14 de Junho, às 21h30, na Sociedade Filarmónica Operária Amorense. “Já Há Governo” é interpretada pelo Pé de Palco, Associação de Amigos do Pinhal General. Lê-se na sinopse que “no dia seguinte às eleições para a Assembleia da República, encontram-se na sede do partido vencedor algumas figuras proeminentes do partido, quadros, dinossauros e oportunistas, candidatos a ministros do próximo governo, bem como delegados de outros partidos, para preparar a próxima legislatura. Tudo se complica quando a mulher de um dos putativos candidatos a ministros resolve ajudar o marido”.

No dia seguinte, sábado, às 16h00, a Operária Amorense recebe a peça “Dar à Luz”, pelo Grupo de Teatro da Unisseixal, numa criação que pretende homenagear as coisas belas, a amizade, a memória, a liberdade, a dança, o amor e o próprio teatro. No mesmo dia, e no mesmo palco, “50 Cravos de Abril” lembra desde o início do fascismo, a censura e a PIDE – e os seus instrumentos de acção –, até ao glorioso dia da Revolução dos Cravos e os seus heróis”. O grupo Bastidores D’Arte recria um texto histórico, numa peça que conta com a participação do grupo Estrelinhas do Sul.

- PUB -

No domingo, 16 de Junho, às 16h00, ainda na Sociedade Filarmónica Operária Amorense, vai a palco “A Minha Escola”, pelo projecto (Des)Dramatizar. É evocada a “chegada do fundo da nossa memória, em alguma parte, num canto distante. Alguns pobres bancos escolares de madeira. A recordação dos castigos recebidos há muito, e a aprendizagem das primeiras liberdades. Levantam a mão num gesto por todos conhecido, e ficam assim imóveis, pedindo algo. Criaturas humanas que exibem sem vergonha os segredos do passado, com os excessos da própria infância”.

A 21 de Junho, às 21h30, o Grupo CCRArtes e Magias, Centro Cultural e Recreativo do Alto do Moinho, vai estar no Clube Recreativo da Cruz de Pau com “A 10.ª Turista, de Mendes de Carvalho. Datado de 1972, o texto apresenta uma crítica à urgência em criar no “País das Maravilhas uma infra-estrutura turística, uma mentalidade turística, uma dinâmica turística, uma política turística” que suprisse a decadência de uma economia falida. Trata-se de uma “crítica social, em forma de comédia, em que as palavras alertam para as lacunas da sociedade de então, que se mantêm”.

No dia seguinte, sábado, às 16h00, o grupo Foyer, Centro de Solidariedade Social de Pinhal de Frades leva à cena no Clube Recreativo da Cruz de Pau “Absolutamente Absurdo” que pega nas personagens mais icónicas da Disney, para construir uma peça em que a Ariel deseja uns sapatos e tudo o resto dá numa bela miscelânea.

- PUB -

No domingo, mais uma vez às quatro da tarde, também no Recreativo da Cruz de Pau, “O Rapaz de Bronze”, pelo grupo Vicentinas, Espaço Reyel vai contar a história de uma noite, num jardim, em que uma estátua ganha vida e reina sobre todas as plantas. “Florinda conhece o Rapaz de Bronze e vai viver uma das noites mágicas que ficará na sua memória”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -