21 Janeiro 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalSantiago do CacémArmindo Neves: “Queremos que o Intermarché Santiago do Cacém seja uma referência...

Armindo Neves: “Queremos que o Intermarché Santiago do Cacém seja uma referência para a população”

Mais de meio milhão de euros investidos nos últimos quatro anos elevaram o supermercado para outro patamar

 

- PUB -

O Intermarché Santiago do Cacém – Supermercados, Lda solidificou a sua posição no ranking das 500 Maiores Empresas com o 282.º lugar. Armindo Neves, proprietário e gerente da empresa do Litoral Alentejano, considera que esta performance é a combinação de vários factores.”

O nosso trabalho e dedicação diários e também o reconhecimento por parte dos nossos clientes, a quem desde já muito agradeço pela fidelidade que têm para connosco”, afirma.

O supermercado emprega, actualmente, 32 pessoas que trabalham diariamente com um objectivo bem definido, aponta Armindo Neves: “Ser a primeira opção e uma referência para a população de Santiago do Cacém no momento de fazer as suas compras”.

- PUB -

Para isso, acrescenta, “apostamos num espaço renovado onde foram investidos mais de 600.000,00€ nos últimos quatro anos, na qualidade e limpeza, na diferenciação a nível de gama, nos produtos regionais e locais e também num atendimento diferenciado e numa relação de proximidade com os nossos clientes que, tal como eu digo, fazem parte da nossa família”.

O gerente do Intermarché Santiago do Cacém sublinha a importância da adaptação da oferta à realidade local.

“Aqui disponibilizamos aos nossos clientes os produtos da terra e da região, funcionando quase como a mercearia de bairro de toda a vida. Eu sou também um defensor da política do preço justo e de colaborar ao máximo com a economia e produção local como forma de contribuir para a sustentabilidade da nossa terra”.

- PUB -

Para além disso, reforça, “queremos fazer a diferença no atendimento e na relação com os nossos clientes, pois acredito que esse é o caminho para o futuro, contrariamente a algumas teorias actuais que visam a supressão de mão de obra e de alguns serviços”.

Com 2021 a caminhar para o final, Armindo Neves diz que os resultados obtidos até agora estão em linha de conta com o esperado tendo em conta a realidade que a pandemia impôs.

“2020 foi um ano atípico por causa da pandemia, foi um ano onde a maioria dos supermercados teve um ligeiro acréscimo nas vendas em virtude do confinamento e do fecho da restauração por um determinado período. Em 2021 existe por isso um decréscimo de vendas em relação ao ano passado, mas isso é algo que para mim não é surpresa”.

Para 2022 o empresário expressa desejo de crescimento e de melhoria contínua. “Espero continuar e aumentar as parcerias que temos com produtores e fornecedores locais por forma a nos distinguirmos da concorrência”.

“Ao mesmo tempo quero continuar a investir na melhoria do serviço e na diferenciação no atendimento ao cliente por forma a atingirmos um serviço de excelência. Essa é a minha visão de futuro, uma visão que privilegia cada vez mais as relações humanas como forma de marcar a diferença para os outros players de mercado, que apostam cada dia mais no livre serviço como forma de dispensar recursos humanos”.

A finalizar, Armindo Neves, deixa uma sugestão. “Convido, a quem venha a Santiago do Cacém, a fazer- -nos uma visita. Serão com certeza muito bem-vindos e muito bem recebidos”.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense não tem jogadores para ir a jogo no próximo domingo

No Campeonato de Portugal a situação está muito complicada para os clubes da região porque o Barreirense está numa posição delicada na tabela classificativa...

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Vereador diz que cães vadios fogem com crânios na boca e acusa PS de tratar mal os vivos e pior os mortos

João Afonso volta a criticar serviço nos cemitérios. Autarca do PSD denuncia ossadas lavadas em tanques da roupa e colocadas em caixas de fruta a secar. Nuno Canta diz que é fantasia
- PUB -