27 Novembro 2021, Sábado
- PUB -
InícioLocalSantiago do CacémJardim da Lagoa: As “baby leaves” e os mini-legumes de Santo André...

Jardim da Lagoa: As “baby leaves” e os mini-legumes de Santo André para a Europa

Sol do Litoral Alentejano levou grupo francês a instalar produção hortícola em Portugal

 

- PUB -

É nos campos agrícolas de Santo André, concelho de Santiago do Cacém, no Litoral Alentejano, que podemos encontrar a Jardim da Lagoa, empresa de produção e distribuição de produtos agrícolas.

Integrada no grupo francês Picvert, que tem sede no Norte de França, a Jardim da Lagoa foi criada em 2007 com o objectivo, segundo o seu responsável, Stéphane Kerdilès, de abastecer a fábrica-mãe em França, com as “baby-leaves” (alfaces e espinafres, por exemplo, em tamanho juvenil) durante o Inverno, altura em que, devido ao clima, a produção caía consideravelmente naquela região francesa.

Stéphane Kerdilès, francês que já residia há oito anos em Portugal quando este projecto se iniciou, refere que a Picvert, para colmatar a redução da produção durante o Inverno, comprava os produtos a terceiros, mas, entretanto, decidira fazer a sua própria produção. “Por causa das horas de sol, tinha que se estabelecer a produção no Sul da Europa, ou no Norte de África”. Foi então que o grupo francês decide pelo Litoral Alentejano.

- PUB -

“Demorámos quatro anos até conseguir ter os balancetes financeiros, no final do ano, positivos” explicou o responsável, lembrando das dificuldades sentidas na adaptação ao solo alentejano.

“Tivemos que aprender, tudo do zero”, confessa Stéphane Kerdilès. “Passámos de trabalhar em terras riquíssimas, com uma higrometria elevada, para o Alentejo Litoral que é trabalhar numa areia estéril, com zero milímetros de água no Verão”, acrescentou o responsável, estabelecendo as diferenças mais claras entre a produção no Norte de França e o Litoral Alentejano.

A aposta da Picvert começou a colher frutos, existindo um investimento continuado para o aumento da produção. Por exemplo, a área agrícola detida pela empresa aumentou substancialmente durante estes anos, passando dos quatro hectares iniciais para os actuais 150.

- PUB -

Além disso, houve a aposta em mais dois tipos de culturas, que se juntaram à das “baby-leafs”, a produção de canónigos e dos mini-legumes, como explicou Stéphane Kerdilès. Os canónigos, também chamados de alface-da-terra, tiveram a sua produção iniciada há seis anos e e a empresa é, neste momento, segundo o responsável, um dos principais produtores em Portugal.

Os mini-legumes, com produção iniciada pela mesma altura, destinam-se exclusivamente à restauração, que, apesar de ser um mercado de nicho, na escala europeia já representa um volume de negócio considerável, de acordo com Stéphane Kerdilès.

Já com a classificação de PME Líder, a Jardim da Lagoa viu os seus lucros de mais de 5 milhões de euros, em 2019, caírem para pouco mais de quatro milhões no passado ano de 2020, devido à redução da actividade decorrente do momento que o mundo atravessa.

Stéphane Kerdilès aponta a pandemia de covid-19 como a principal culpada por esta quebra, referindo-se, por exemplo, à comercialização dos mini-legumes que ficou completamente retida e comprometida a partir do momento em que a restauração foi obrigada a suspender a sua actividade.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Área Metropolitana de Lisboa assegura transporte rodovidário sadino até chegada da Carris Metropolitana

É necessário "dar continuidade às Autorizações Provisórias até a entrada do novo operador, de forma a evitar a ruptura dos serviços públicos de transporte rodoviário de passageiros no concelho de Setúbal"

Cão desparecido no Seixal encontrado pela GNR na Quinta do Anjo seis anos depois

A GNR encontrou a dona do cão através do leitor de microchip. Estava registado no Sistema de Informação de Animais de Companhia  

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  
- PUB -