10 Maio 2021, Segunda-feira
- PUB -
Início Local Santiago do Cacém Santiago do Cacém com projecto de "eco-hotel" de 1,3 milhões de euros...

Santiago do Cacém com projecto de “eco-hotel” de 1,3 milhões de euros para abrir em 2022

Um ‘eco-hotel’ centrado no turismo sustentável e na economia circular vai ser construído no concelho de Santiago do Cacém, num investimento de 1,3 milhões de euros, previsto abrir no próximo ano, revelou hoje a empresa promotora.

- PUB -

O projeto vai ser desenvolvido pela empresa Tellus Origo, em parceria com a empresa Reframe Arkitektur (Noruega), e tem como objetivo “criar um ‘eco-luxury hotel’”, na zona da freguesia de São Francisco da Serra, no interior do concelho de Santiago do Cacém.

A unidade “servirá como uma instalação-piloto de turismo sustentável em Portugal, implementando os princípios da economia circular”, indicou a Tellus Origo, em comunicado enviado à agência Lusa.

A cofundadora da empresa, Laura Moreira, revelou hoje à Lusa que o empreendimento baseia-se no conceito de economia circular, “desde o design, ao nível de arquitetura, ao número de quartos, aos materiais usados e às técnicas de construção”.

- PUB -

Designado como Tellus – Rethinking Tourism, o projeto “nasceu em 2019” e foi um dos oito vencedores do concurso da economia circular da EEA Grants Ambiente, Mecanismo Financeiro Plurianual, que visa desenvolver ações para reduzir disparidades sociais e económicas na Europa, tendo garantido um financiamento de 500 mil euros.

A empresa prevê que a obra possa arrancar no próximo mês de julho, estando prevista a inauguração do futuro ‘eco-hotel’ em abril de 2022.

A futura unidade, que vai ter uma área de implantação de 840 metros quadrados, vai “nascer” num terreno com cerca de 4,1 hectares, com recurso a novas técnicas de construção e sem a utilização do tijolo.

- PUB -

“Não vamos utilizar tijolo, que tem uma pegada ambiental muito grande, assim como o cimento. Após muita investigação, decidimos optar por painéis de palha prensada e madeira, feitos com 100% de matéria orgânica e com selos de qualidade”, adiantou Laura Moreira.

A empresa pretende ainda “utilizar madeira na estrutura e cimento, com preocupações ambientais, para algumas fundações”, acrescentou.

O projeto, argumentou, é considerado uma instalação-piloto de turismo sustentável porque recupera “uma tradição alentejana” que passa pela “utilização da palha juntamente com a taipa” na construção de habitações.

“Evoluiu agora para ser feito de forma mecanizada” sendo “possível construir um hotel com este tipo de painéis, cujo licenciamento é único, com uma estrutura em madeira, utilizando um pouco de cimento nas fundações”, precisou.

O ‘eco-hotel’ vai contar com 12 quartos de duas tipologias (suítes e casas), divididos por cinco edifícios, uma zona de bar e de restauração, uma piscina “sem cloro”, spa, várias zonas de lazer e percursos com atividades de turismo de natureza.

“Temos também uma parte de ações de formação e ‘workshops’ na área da economia circular, turismo sustentável e regenerativo, compostagem e desperdício alimentar, observação de aves e de plantas, artes e ofícios locais, experiências de comida vegana e provas de vinhos”, destacou.

A área envolvente “vai ser mantida o mais virgem possível” e, nas zonas de lazer, “serão adicionadas plantas autóctones, envolvendo a vegetação existente, como sobreiros, carvalhos e medronheiros”, avançou.

Ainda de acordo com a responsável, o projeto aposta na energia solar, recolha de água pluvial, painéis solares de aquecimento termal, compostagem e numa pequena horta.

Com os olhos postos no “mercado europeu e americano”, a empresa “alinhou a estratégia de marketing”, devido à pandemia de covid-19, para “não descurar também o mercado português”, disse.

Lusa

- PUB -

Mais populares

Barcos da Transtejo/Soflusa param travessia do Tejo a 20 de Maio

Na reunião de hoje com a administração da empresa, e conforme o que tinha sido decidido em plenário de trabalhadores da semana passada, o...

Sindicato não aceita aumentos de salários propostos pela administração da Autoeuropa

Administração da fábrica da Volkswagen em Palmela quer acordo que prevê aumentos salariais a três anos em função da taxa de inflação, sindicato contesta

Empresa dedicada à comercialização de canábis chega a Setúbal com nova unidade no parque BlueBiz

Espaço servirá para pós-colheita da planta medicinal. Produtora escolheu a cidade sadina “por possuir excelentes acessibilidades e oferecer flexibilidade nas suas instalações”   A empresa Clever...
- PUB -