23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Passe Navegante completou cinco anos de “revolução na mobilidade” na região

Passe Navegante completou cinco anos de “revolução na mobilidade” na região

Passe Navegante completou cinco anos de “revolução na mobilidade” na região

André Martins insiste na continuidade de investimento no serviço que tem crescido no concelho

 

Contam-se agora cinco anos da entrada em vigor do passe Navegante metropolitano e a opinião dos autarcas onde o serviço opera, nomeadamente dos presidentes dos executivos da Península de Setúbal, é unânime. Desde 1 de Abril de 2019 que o transporte público é mais abrangente – a nível geográfico e populacional –, mais barato, e melhor na vertente ambiental.

- PUB -

A posição foi transmitida por André Martins, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, que esteve presente no evento “Jornadas Navegante – 5 anos de Navegante | 5 anos de políticas públicas de transporte colectivo”, no Palácio de Queluz, onde referiu “a importância da transformação” que o novo passe trouxe, adiantando que “do ponto de vista social” este mostra-se como “um contributo extraordinário para a melhoria da qualidade do ambiente”.

O encontro decorreu entre segunda e terça-feira, organizado pela Área Metropolitana de Lisboa (AML) e os Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), e contou com a presença de presidentes e autarcas da Península de Setúbal – a chamada ‘zona 4’ onde a Carris Metropolitana opera – à excepção de Alcochete que não teve representação camarária. Assim, estiveram presentes André Martins (Setúbal), Frederico Rosa (Barreiro), Inês de Medeiros (Almada), Carlos Albino (Moita), José Polido (vereador de Sesimbra), Nuno Canta (Montijo), Paulo Silva (Seixal), e, Álvaro Amaro (Palmela).

Município investiu mais de 11 milhões em nova modalidade

- PUB -

Um investimento de quase 11 milhões e 900 mil euros foi o que a Câmara Municipal de Setúbal indicou para comparticipar a “redução tarifária, para a operação da Carris Metropolitana e para as funções da autoridade metropolitana de transportes de Lisboa”, sendo que, em cada um dos últimos três anos, o valor concedido excedeu os 2 milhões e 700 mil euros.

“É um processo que é fundamental continuar. O município de Setúbal está empenhado nisso e foi aqui manifesto, nas intervenções feitas, a importância de continuarmos todos unidos a aprofundar esta questão de mais mobilidade, melhor qualidade de vida, melhor ambiente, melhor saúde pública”, assumiu o autarca.

“É um caminho que é necessário continuar a aprofundar, o município de Setúbal está empenhado nisso e fará tudo o que estiver ao seu alcance para continuar a trabalhar nesse sentido”.

- PUB -

Os municípios de Setúbal e Almada destacam-se nos quatro primeiros lugares onde, em 2023, existiram mais carregamentos dos passes mensais, com a autarquia sadina a registar “um crescimento de 57 por cento face ao ano anterior, com uma taxa de crescimento mensal superior a 3,5 por cento”, como explicam em nota de Imprensa.

Segundo os dados divulgados por Faustino Gomes, presidente do conselho de administração da TML, no ano de 2023 foram carregados perto de 10 milhões passes Navegante, o que representa um crescimento de 36% face a 2018, período ainda pré Navegante.

Caminhada vai longa mas desafios ainda existem

A caminhada já vai longa mas nem por isso deixam de existir desafios diários necessários colmatar para que a rede de transportes públicos possa ter um melhor desempenho. Quem o reconhece é Carla Tavares, presidente do Conselho Metropolitano de Lisboa, que reconheceu que “o Navegante foi importante, mas os passos seguintes também foram”.

“Apesar dos momentos difíceis, tem sido uma extraordinária caminhada a bem do serviço público de transportes”. Ao considerar que a nova modalidade mostrou-se “uma verdadeira revolução na mobilidade urbana”, e que esta foi “ao encontro das necessidades das populações”, enalteceu o empenho dos 18 municípios da AML, do Governo e operadores de transportes pois só estes contribuíram para “um longo e desafiante caminho, com bons resultados e provas dadas”.

Já Faustino Gomes falou directamente sobre os preços praticados antigamente lembrando que existiam “milhares de passes diferentes e 87 por cento deles custavam mais de 40 euros, que só 30 por cento do território da AML estava coberto pelo passe intermodal e que este apenas servia 70 por cento da população”. O novo sistema de tarifas, para todo o território da AML, tem agora um “tratamento igual e de forma integrada” para todos.

Assumindo que o serviço já está “bem acima do expectável” refere que agora é altura de enfrentar “os desafios de consolidação do Navegante e da sua adaptação às novas realidades”.

O valor do passe Navegante municipal é de 30 euros e o metropolitano 40 euros, valores que se mantêm inalterados desde a sua criação. O passe é gratuito para estudantes com idades até aos 23 anos e para crianças até ao fim dos 12 anos.

Já os utentes com mais de 65 anos pagam 20 euros pelo Navegante metropolitano e 15 pelo municipal. Existe ainda a modalidade Navegante família metropolitano (80 euros) e o Navegante família municipal (60 euros). Com Lusa

Setúbal | Residentes no concelho pagam menos 10 euros pelo passe

Em 2023 o município de Setúbal atingiu o valor de 38405 passes municipais vendidos e aplicou uma medida, reiterada no presente ano, de diminuir em 10 euros o preço de todas as modalidades do passe Navegante municipal. No ano passado a redução do preço custou ao município mais de 384 mil euros.

“No caso do município de Setúbal, o pagamento é menos 10 euros porque a Câmara Municipal decidiu, como incentivo complementar para a utilização de transporte público, reduzir em 10 euros o preço do passe Navegante”, explicou a vereadora com o pelouro da Mobilidade, Rita Carvalho, à margem do encontro no Palácio de Queluz.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -