22 Janeiro 2022, Sábado
- PUB -
InícioLocalPalmelaJosé Calado revela fórmula para chegar à presidência da Câmara

José Calado revela fórmula para chegar à presidência da Câmara

MIM e CDS dão as mãos e apresentam cabeças-de-lista a todos os órgãos autárquicos do concelho de Palmela

 

- PUB -

José Calado, vereador eleito em 2017 pelo Movimento Independente pela Mudança (MIM), recandidata-se à presidência da Câmara de Palmela, desta vez a encabeçar uma lista do movimento com o CDS-PP. No passado sábado, no jardim da Praça da Independência, em Pinhal Novo, o cabeça-de-lista mostrou-se confiante na vitória, que, considera, pode passar apenas pela eleição de dois vereadores.

O independente acredita que “a mudança vai mesmo acontecer em Outubro” e justifica a convicção com a nova realidade, se comparada com 2017. “Na altura, praticamente sozinho e com apenas um mês de campanha, consegui retirar a maioria absoluta à CDU. Agora com uma estrutura sólida e com seis meses de campanha estou confiante de que poderemos atingir o nosso objectivo, que passa por ganhar a presidência da Câmara de Palmela”, disse, durante a apresentação dos cabeças-de-lista da candidatura conjunta a todos os órgãos autárquicos do concelho.

José Calado revela que a fórmula vencedora pode passar por “eleger dois vereadores e mais alguns votos”. É que nas eleições deste ano “o contexto é diferente”, sublinhou. “Vamos ter mais forças políticas a concorrer e penso que poderemos beneficiar com a dispersão de votos”.

- PUB -

O candidato apontou o que está mal e “deve mudar imediatamente” na gestão camarária. Urbanismo, limpeza e higiene urbana, loteamentos clandestinos, Protecção Civil e resposta mais efectiva aos mais idosos são as áreas prioritárias para o candidato. “Para todas temos propostas concretas que serão anunciadas na altura apropriada”, prometeu.

Presidente do CDS presente

Sobre a aliança com o CDS-PP – partido que nas duas últimas eleições autárquicas concorreu coligado com o PSD –, José Calado explicou: “Face à lei para os movimentos independentes em vigor seria muito difícil ao MIM concorrer a todos os órgãos autárquicos como queríamos. Por isso, depois de profunda análise, optámos por nos aliar ao CDS apesar de termos sido abordados por outros partidos”.

- PUB -

Do lado dos centristas, João Merino, presidente da distrital de Setúbal, salientou que o acordo resultou de “uma confluência de interesses entre o CDS e José Calado”. Mas, vincou, “não se trata de uma solução de recurso”. “Porque temos aqui uma união com muita força com capacidade eleitoral e electiva”, defendeu.

A presença de Francisco Rodrigues dos Santos foi a surpresa da manhã. O presidente do CDS fez questão de, presencialmente, dar o seu apoio público a José Calado. “O nosso homem para estas eleições”, atirou, garantindo que estará ao seu lado “em todos os momentos que se achar necessário”. “Ele representa os valores em que acredito na política, um homem de família, um empresário, alguém que sabe o que o dinheiro custa a ganhar, que sabe o que é pagar salários, sabe o que é produzir riqueza, sabe o que é ter espírito de missão, porque no seu currículo tem uma vasta experiência associativa. Tem provas dadas e não precisou de um partido político para mostrar o seu talento e o seu valor”, juntou.

Além de José Calado, democratas-cristãos e independentes anunciaram como cabeças-de-lista Jorge Emídio à Assembleia Municipal, Linda Oliveira à Junta de Freguesia de Palmela, Palmira Hortense à Junta de Pinhal Novo, Rui Torres à Junta de Quinta do Anjo e Anabela Pagaime à União das Freguesias de Poceirão e Marateca.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Pinhalnovense sem jogadores para jogar fez falta de comparência

A 12.ª jornada do Campeonato de Portugal ficou marcada pela falta de comparência do Pinhalnovense no jogo que deveria disputar em casa com o...

Entrada de luxo dos sadinos foi segredo para vencer U. Santarém e subir ao 2.º lugar

Varela (bisou) e Zequinha fizeram os golos desta quinta-feira no Bonfim

MP acusa médico do Centro Hospitalar de Setúbal de homicídio por negligência em caso de morte de bebé num parto

Os factos ocorreram no dia 06 de Fevereiro de 2018, nos serviços de urgência de obstetrícia e estão relacionados com o parto de um feto morto
- PUB -