23 Maio 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalOdemiraOdemira recebe espectáculo de teatro e canto polifónico que celebra a liberdade

Odemira recebe espectáculo de teatro e canto polifónico que celebra a liberdade

Esta sexta-feira e sábado, à noite, no palco do Cineteatro Camacho Costa

 

- PUB -

O encenador italiano Giacomo Scalisi vai apresentar em Odemira, nesta sexta-feira e no sábado, o espectáculo de teatro e canto polifónico “Não”, que faz uma “apologia” da liberdade e da individualidade.

A peça resulta de uma parceria do encenador com o escritor português Afonso Cruz e vai subir ao palco do Cineteatro Camacho Costa, a partir das 21:00 de sexta-feira e sábado, no âmbito da edição de 2022 do projecto “Lavrar o Mira e a Lagoa – As Artes Além Tejo”.

Em declarações à agência Lusa, o encenador Giacomo Scalisi explicou hoje que o projecto nasceu de uma “clara vontade de falar a todo o público, em particular às crianças e jovens, sobre a importância de se poder pensar em liberdade”.

- PUB -

“A coisa mais importante é a liberdade. A liberdade é a paz” e “a possibilidade de podermos viver como queremos, com uma individualidade própria e dando também a possibilidade aos outros de viverem a vida que querem”, acrescentou.

Nesse sentido, “Não” é igualmente marcado pelo canto polifónico, para mostrar ao público “que três vozes diferentes são mais belas do que o uníssono”.

“A minha ideia sempre foi trabalhar, do ponto de vista teatral, sobre a palavra dita e a palavra cantada”, justificou Giacomo Scalisi.

- PUB -

Na opinião do encenador italiano, a mensagem transmitida no espectáculo ganhou maior pertinência no momento actual, depois da invasão da Ucrânia pela Rússia.

“Quando montámos o espectáculo, não tínhamos o que temos actualmente [uma guerra]. E, agora, estou muito curioso para ver o espectáculo em cena e perceber o que acontece com esta nova visão” do mundo, disse.

Dirigido a maiores de oito anos, “Não” é uma produção original concebida e encenada por Giacomo Scalisi, a partir de textos de Afonso Cruz, uns originais e outros retirados das suas obras “Paz Traz Paz” e “O Livro do Ano”.

A peça é interpretada por Rita Rodrigues, Sofia Moura e Ana Root, responsável pela criação musical da produção, juntamente com Pedro Salvador.

A produção integra a temporada deste ano da iniciativa “Lavrar o Mira e a Lagoa – As Artes Além Tejo”, a decorrer nos municípios de Santiago do Cacém (Setúbal) e de Odemira (Beja) e promovida pela cooperativa cultural Lavrar o Mar, sediada em Aljezur (Faro).

O projecto é financiado pelos dois municípios do litoral alentejano, assim como pela Direcção-Geral das Artes e pelos programas operacionais Alentejo 2020 e Compete 2020.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Piscina na urbanização dos Fidalguinhos está quase a sair do papel

Obra de 3,5 milhões de euros já tem projecto e concurso pode avançar ainda este ano. Futuro equipamento terá capacidade para cerca de 700...

Cidade perde rede de agentes com chegada da Transportes Metropolitanos de Lisboa

Rede com mais de uma dezena de estabelecimentos, construída pelos TST, desfeita com chegada de nova transportadora, prejudicando utilizadores mais velhos

Jovem sequestrado e violado em casa de banho da estação de comboios de Coina

Rapaz de 16 anos foi abusado por homem de 43. Violador está agora em prisão preventiva
- PUB -