28 Novembro 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioLocalMontijoJoão Primo Jaleco 1936-2021 | Montijo despediu-se de “um dos seus melhores”

João Primo Jaleco 1936-2021 | Montijo despediu-se de “um dos seus melhores”

Primeiro presidente da Câmara Municipal morreu aos 85 anos. Destacou-se ainda no ensino, no movimento associativo e na área social

 

- PUB -

Várias dezenas de pessoas prestaram ontem uma última homenagem a João Primo Jaleco, no Cemitério de S. Sebastião, na cidade montijense, de onde o corpo seguiu para o crematório da Quinta do Conde, Sesimbra. O professor e primeiro presidente da Câmara Municipal do Montijo – cargo que viria a desempenhar de novo entre 1986 e 1990 – faleceu na última quarta-feira, aos 85 anos.

Neste mesmo dia, a Assembleia de Freguesia do Montijo aprovou um voto de pesar que reflecte a dimensão da perda para a comunidade montijense.

“Hoje [quarta-feira] faleceu um dos nossos melhores, o professor João Primo Jaleco. A afirmação pode parecer um cliché, uma forma de expressão, um lugar comum sem grande valor ou profundidade, mas não é definitivamente o caso. O professor Jaleco, como sempre foi conhecido pela generalidade dos montijenses, dedicou a sua vida ao Montijo, ao Afonsoeiro, às suas gentes. Apesar das suas raízes alentejanas, foi montijense de alma e coração. Foi, e sempre será, um dos nossos melhores”, pode ler-se no documento, que foi aprovado por unanimidade.

- PUB -

Primo Jaleco foi recordado como “pessoa gentil, educada, culta, de coração puro” e “uma figura de referência” da comunidade local. “Serviu, sempre, de forma abnegada a sua terra de coração. Exemplo recente disso mesmo foi a doação da sua vasta colecção de livros e outros documentos a esta junta de freguesia, para que possamos criar a Biblioteca João Primo Jaleco, no seu querido Afonsoeiro. Dar vida e expressão física à Biblioteca João Primo Jaleco é uma das nossas principais missões, que acredita-se que será cumprida por quem quer que esteja à frente dos destinos da junta de freguesia.”

Determinante na causa social

No mesmo voto de pesar, é sublinhado também a dedicação do antigo autarca ao ensino e depois à causa pública através da política. Foi presidente da Câmara entre 4 de Janeiro de 1977 e 31 de Dezembro de 1979, eleito pelo PS. Mais tarde encabeçaria, pelo PS, a candidatura da coligação PS/PSD que venceu as eleições para novo mandato que cumpriu entre 2 de Janeiro de 1986 e 3 de Janeiro de 1990. Antes fora vereador (1980) e deputado da Assembleia Municipal (1983-1985).

- PUB -

“O seu desígnio de servir o Montijo e as suas gentes incluiu, também, um percurso pelo movimento associativo. Foi presidente da Mesa da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia do Montijo e, em 1990, mentor e fundador do Centro Social de São Pedro do Afonsoeiro, uma das mais importantes instituições da nossa freguesia. Durante largos anos, enquanto presidente da instituição, deu um contributo decisivo para o combate à pobreza e à exclusão social, para o desenvolvimento e progresso do Afonsoeiro e dos afonsoeirenses”, é ainda sublinhado no mesmo documento.

Na rede social Facebook, multiplicaram-se as manifestações de pesar, com centenas de mensagens a enaltecer o homem, o professor e o autarca. O SETUBALENSE apresenta as mais sentidas condolências à família enlutada e amigos.

PS suspendeu campanha até à tarde de ontem

A notícia do falecimento de João Primo Jaleco levou o PS a suspender as acções de campanha eleitoral que estavam programadas para quarta-feira e a manhã de ontem. Os socialistas retomaram as iniciativas a partir das 14h30 de ontem. Pelo Cemitério de S. Sebastião passaram vários autarcas (actuais e antigos) e muitos populares para prestarem homenagem. Fernando Caria, presidente da Junta de Montijo/Afonsoeiro, Maria Clara Silva, vice-presidente da Câmara Municipal, Serra da Graça, antigo vereador pela CDU, e Maria Amélia Antunes, antiga presidente da Câmara, foram algumas das figuras que passaram pela capela do cemitério.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Corpo do chefe dos Bombeiros Sapadores de Setúbal encontrado na Praia da Torre em Grândola

Identificação do corpo terá sido feita por familiares na morgue, onde será realizada a autópsia, não havendo, até ao momento, indícios de crime 

Cadáver de homem encontrado esta manhã na praia da Torre em Grândola

Corpo deu à costa no Carvalhal, havendo suspeitas de tratar-se de Manuel Arrábida, chefe dos Bombeiros Sapadores de Setúbal desaparecido há sete dias

“Tenho a vida completamente destruída”

Os relatos dos funcionários da Palvidas, que mesmo sem ordenados aparecem no trabalho por apreço aos doentes que transportam
- PUB -