13 Agosto 2022, Sábado
- PUB -
InícioLocalMoitaCâmara resolve contrato com empreiteiro que parou construção do centro de saúde

Câmara resolve contrato com empreiteiro que parou construção do centro de saúde

Resolução vai à próxima reunião de Câmara. Autarca tem esperança em nova empreitada na Baixa da Banheira ainda este ano

 

- PUB -

Carlos Albino, presidente da Câmara da Moita, voltou a lembrar no último domingo, durante o encerramento das festas em honra de S. José Operário, que a situação do novo centro de saúde da Baixa da Banheira “é um pouco complexa” e que a causa gerada em torno deste equipamento é “difícil de resolver”. Ainda assim, a obra, estimada em mais de 2,4 milhões de euros, continua envolta em polémica, na medida que continua a ser uma urgência para servir 30 mil e 400 utentes desta região e encontra-se parada.

Em declarações a O SETUBALENSE, o autarca moitense recordou que “quando assumimos a câmara a 19 de Outubro do ano passado, aquele espaço já devia estar concluído desde o mês de Agosto e quando fomos eleitos, não estando bem conscientes da situação em que a obra estava, ainda tentámos desenvolver todos os esforços junto do empreiteiro para que a intervenção fosse concluída”.

O edil diz-se consciente de que sabe que, se não forem cumpridos os prazos, a câmara corre o risco de “ter que devolver o dinheiro investido” neste equipamento à União Europeia. “O compromisso que existe da nossa parte, da União de Freguesias da Baixa da Banheira e do Vale da Amoreira e da CCDR-LVT é fazer tudo para conseguirmos cumprir a obra dentro dos prazos, para que não percamos este financiamento”, adiantou Carlos Albino.

- PUB -

Além da situação vivida no futuro equipamento de saúde, o autarca recorda que “a população precisa e merece resolver esta situação e o município não pode perder esta oportunidade”, vincou. “Temos o compromisso de tudo fazer para concluir os trabalhos, por isso, quando percebemos que todos os nossos esforços – ao longo de dois meses o empreiteiro só tinha feito 2% da empreitada –, resolvemos iniciar o procedimento para a resolução do contrato”, frisou.

Todo o processo de notificação do empreiteiro, resposta e decisão final da câmara, irá a reunião de câmara, para votação da resolução do contrato, cabendo à autarquia iniciar um processo para ficar com a posse administrativa da obra.

Encerrar espaços envidraçados e impermeabilizar cobertura

- PUB -

“De imediato e para garantir as condições de segurança do imóvel, o que pretendemos fazer é fechar os espaços envidraçados e estamos ainda a estudar se a lei nos permite ou não fazer a impermeabilização da cobertura, para garantir a segurança do edifício e o trabalho que está feito e a sua qualidade, para evitar que o espaço se degrade”, acrescentou.

Posteriormente, os trabalhos ficarão temporariamente parados, com excepção de intervenções em algumas partes do que já está edificado, sendo que depois disso a questão que se coloca ao município “é avançar o mais rapidamente” com a execução de parte dos trabalhos.

“Os ‘timings’ processuais, por vezes, não dependem só de nós e quando vai para análise do Tribunal de Contas, dependerá da avaliação que esta instituição fará do assunto”, disse. Albino deseja que até ao final do ano a intervenção neste espaço “esteja adjudicada” e “com a obra a decorrer”, de modo a concluir a mesma dentro do prazo.

Caso contrário, a câmara poderá ser obrigada a devolver toda a verba financiada, com milhares de utentes que “continuarão à espera”. De acordo com o presidente, “com ou sem apoio e já informei a população disso, certo é que o município vai fazer o centro de saúde”, garantiu. “Podemos não nos endividar para um conjunto alargado de intervenções, mas este centro de saúde é uma prioridade para a população e para o concelho, no que diz respeito à resposta à saúde”, garantiu, tendo lembrado que o futuro equipamento ficará dotado de alguns meios complementares de diagnóstico e de outras áreas, não servindo apenas os habitantes da vila banheirense.

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -