25 Janeiro 2022, Terça-feira
- PUB -
InícioEmpresasHugo Almeida: “Foi um desafio árduo manter o Intermarché da Moita num...

Hugo Almeida: “Foi um desafio árduo manter o Intermarché da Moita num ano de pandemia”

Gestão dinâmica conseguiu manter sólida afirmação do projecto. Empresa ocupa o 183.º lugar no ranking das maiores empresas da região

 

- PUB -

Hugo Almeida, gerente e proprietário da loja Intermarché da Moita, considera que 2021 “foi um desafio árduo devido à pandemia” e que só “uma gestão dinâmica com grande aposta na comunicação e marketing” da marca “tem conseguido manter uma sólida afirmação do projecto”.

A pouco tempo de se celebrar mais um Natal, o responsável pelo espaço, desde há seis anos, acrescenta que actualmente se verifica uma grande “ansiedade e perspectivas” para o mês de Dezembro.

Hugo e Sandra Almeida assumem objectivo de continuar a fazer crescer o Intermarché da Moita

“A época festiva para nós é muito importante nos resultados, e como não poderia deixar de ser este ano contamos com uma grande afluência à loja para equilibrar os danos causados pela pandemia”, afirma, confiante.

- PUB -

No ranking das 500 Maiores Empresas do Distrito de Setúbal, o Intermarché da Moita, com a aposta numa nova imagem e empenho de toda a equipa, conseguiu obter mais uma subida para a posição 183.

Em 2020 “mantivemos a afluência de clientes à loja, mas também a visita de novos fregueses e isso advém das mudanças”, sublinha. “O facto de mantermos a qualidade na procura dos nossos produtos é crucial para a escolha do cliente”, assegura Hugo Almeida.

Em termos de investimentos, 2020 e 2021 ficam marcados pela mudança da fachada, melhoramentos na zona de estacionamento, pela optimização do interior da loja, com a renovação de equipamentos de frios (arcas), inclusão das caixas automáticas e modernização das caixas registadoras, preçários electrónicos, entre outros pormenores.

- PUB -

Intervenções que, segundo o gerente, tiveram como meta tornar o estabelecimento mais atractivo para os clientes e, acima de tudo, mais prático e funcional. Com mais um ano de direcção, Hugo e Sandra Almeida dizem que mantêm o foco e o objectivo de continuar a crescer.

A confinidade, firmeza e qualidade do casal são, na sua perspectiva, os factores principais para o rumo ascensional que a loja tem tido. Presentemente, o empresário mostra-se satisfeito com a aposta feita e com os resultados obtidos.

“Tem sido um ano intenso e de grande esforço, tendo em conta todas as restrições e limitações que sofremos com a pandemia, ainda assim, não baixamos a guarda e continuamos a lutar para nos mantermos à tona nesta fase pandémica”, salienta.

Neste âmbito e questionado se pretende continuar a ser pró-activo na gestão da loja, com uma presença assídua, o gerente é categórico: “Acho essencial a presença de uma figura gestora bem como o contacto com os funcionários e o público para obter resultados”, destaca.

Em relação à forma de gestão, Hugo Almeida considera que “o bom funcionamento e os resultados positivos dependem muito de nós, por isso, tem de ser garantida uma atenção constante a todos os pormenores”, até porque “perceber como o negócio funciona é vital para o sucesso”, defende.

As práticas na área da responsabilidade social são também uma imagem de marca desta gerência: “São muitos aqueles que ajudamos, mas não damos a conhecer”, afirma.

O Intermarché da Moita, refira-se, é reconhecido pela sua disponibilidade para com o cliente e, simultaneamente, pela dedicação e intervenção directa dos seus dois responsáveis, bem como pela sua grande qualidade e variedade de produtos regionais.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Duas das crianças feridas em acidente rodoviário em Palmela em estado grave

O sinistro envolveu três veículos ligeiros e obrigou ao corte de trânsito na EN 5 por mais de três horas

Morreu uma das crianças feridas em colisão automóvel no concelho de Palmela 

Menino tinha cinco anos e havia sido transportado no helicóptero do INEM para o Hospital de Santa Maria. Ontem acabou por não resistir aos ferimentos

MP acusa médico do Centro Hospitalar de Setúbal de homicídio por negligência em caso de morte de bebé num parto

Os factos ocorreram no dia 06 de Fevereiro de 2018, nos serviços de urgência de obstetrícia e estão relacionados com o parto de um feto morto
- PUB -