26 Outubro 2021, Terça-feira
- PUB -
Início Local Moita Câmara atribuiu medalhas a entidades, personalidades e instituições

Câmara atribuiu medalhas a entidades, personalidades e instituições

Cerimónia do Dia do Município decorreu no auditório da Biblioteca Bento de Jesus Caraça, na Moita, devido ao mau tempo que se fez sentir nesta data

 

- PUB -

Como é habitual, o município da Moita atribuiu neste feriado municipal – assinalado na passada terça-feira –, medalhas a personalidades, entidades e instituições concelhias que, ao longo do seu percurso e em diferentes áreas, elevaram o nome do concelho. As distinções foram entregues no auditório da Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, devido ao mau tempo, com o presidente de Câmara, Rui Garcia, a destacar que as condecorações “não resultam de ganhar uma competição ou chegar primeiro”.

O presidente da autarquia moitense, Rui Garcia, presidiu à cerimónia

“Para receber uma destas medalhas é preciso algo muito mais importante e difícil [como] ser reconhecido pela sua comunidade, pelo contributo dado com o seu trabalho e sucesso”, destacou.

- PUB -

Este ano, a autarquia atribuiu a Medalha de Mérito Económico e Social aos estabelecimentos comerciais café “O Ninho da Águia” (Baixa da Banheira), à Oculista Ideal da Moita e a Maria da Luz – Pronto-a-Vestir e Retrosaria, em Alhos Vedros. Na altura, foram entregues duas Medalhas de Mérito Desportivo a Orlando Alexandre, que se afirmou no ciclismo, e a Liliana Cá, residente do Vale da Amoreira, especializada no lançamento do Disco e que bateu o recorde nacional da disciplina, em Março de 2021.

A Medalha de Honra do Município foi entregue ao Agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas, pelo reconhecimento da sua história e do seu papel nas últimas cinco décadas, tendo ainda sido entregues medalhas de Bons Serviços ao Município a trabalhadores que completaram 40 anos de serviço.

O momento musical da cerimónia foi protagonizado por Catarina dos Santos e Nuno Costa à guitarra.

- PUB -

 

Biografias dos homenageados: 

Medalha de Mérito Económico e Social ao café “O Ninho da Águia”

Este estabelecimento tradicional da Baixa da Banheira, cujo nome revela a paixão do seu proprietário pelo Sport Lisboa e Benfica, tem uma longa história nesta freguesia.

Fruto do sonho de Augusto e Adelaide Cardoso que, em 1940, decidiram a abertura de um negócio de bebidas – a então “Taberna do Tio Augusto”, foi mantida, mesmo após o falecimento do patriarca da família, em 1958, pelo esforço da sua esposa e do seu filho mais novo – José Cardoso, então com apenas 13 anos.  Passou então a ter a designação de “Taberna da Tia Adelaide”, prosseguindo as pisadas do seu fundador.

Em 1980, com a sua esposa Noélia, José Cardoso assume a propriedade e gerência da casa, dando-lhe o nome que hoje ostenta e a característica “alma clubística” que todos na Baixa da Banheira conhecem e reconhecem.

 

Medalha de Mérito Económico e Social a “Oculista Ideal da Moita”

Fundada em 1979, a Ótica Ideal da Moita estabeleceu-se numa altura em que não existia nenhum outro estabelecimento do género que servisse a população do concelho. Fruto da vontade do seu proprietário, António Corona, esta ótica serviu gerações que ali sempre encontraram a simpatia, o profissionalismo e o atendimento personalizado que a diferencia ainda hoje.

Apesar de integrada, desde 1998, num grande grupo do sector ótico, as características que a fizeram ganhar e fidelizar um leque alargado de clientes mantêm-se, continuando a ser uma referência local num setor fortemente concorrencial.

 

Medalha de Mérito Económico e Social a Maria da Luz – Pronto a Vestir e Retrosaria, em Alhos Vedros

Esta loja abriu as suas portas em outubro de 1980, pelas mãos de Maria da Luz Pacheco da Silva, uma alentejana que veio morar para Alhos Vedros no início dos anos 70. Na Av. Humberto Delgado, construiu uma das principais retrosarias da zona, transformando o espaço numa casa cheia de vida, onde os clientes tinham a certeza de encontrar sempre aquilo que procuravam. A Retrosaria, ou a loja da “Maria da Luz”, mantem-se de portas abertas e comemora quase 41 anos, continuando a ser uma referência em Alhos Vedros, resistindo ao envelhecimento dos espaços, alimentando a dinâmica da sua comunidade.

 

Medalha de Mérito Desportivo a Orlando Alexandre

Orlando Alexandre é um nome incontornável do desporto português e do concelho da Moita, afirmando-se particularmente no ciclismo, a modalidade do seu coração.

Desde muito novo apaixonado pelas bicicletas, embalado pelas vitórias de Alves Barbosa, compra a sua primeira bicicleta aos 15 anos e foi com ela que, fruto de um esforçado treino individual, alcança as primeiras vitórias nos Jogos Juvenis do Barreiro e chama a atenção do Benfica que aposta nele para o representar na Volta a Portugal em Bicicleta.

Correu como ciclista profissional até 1973, ano em que compete na mítica Volta à Espanha. Desde então, fez um pouco de tudo no ciclismo, sendo reconhecido como massagista e, nessa qualidade, tendo acompanhado Joaquim Agostinho na sua carreira em França.

Foi ainda diretor desportivo de diversas equipas, a mais marcante das quais a Sicasal/Acral.

Abandonou o ciclismo em 2001, não deixando de oferecer os seus préstimos e conhecimentos como massagista, agora no futebol, no Pinhalnovense, clube onde esteve durante uma década.

Mantém, ainda hoje, um espólio museológico na sua casa, no Chão Duro, onde procura, com o seu exemplo, divulgar, promover e cativar para o desporto ciclável as novas gerações.

 

Medalha de Mérito Desportivo a Liliana Cá

Liliana Cá, residente no concelho da Moita, no Vale da Amoreira, estreou-se ainda criança no Atletismo, tendo-se especializado no lançamento do Disco, modalidade em que alcançou um reconhecimento nacional e internacional, batendo sucessivos recordes e alcançando importantes vitórias nas mais exigentes provas, quer ao serviço dos clubes pelos quais competiu, quer em representação de Portugal.

Por duas vezes, em 2003, bateu o recorde nacional do lançamento do disco, tendo representado, em 2004, o nosso país nos mundiais de juniores da especialidade, ao serviço do Sporting Clube de Portugal, e melhorado o recorde nacional júnior, tendo então conquistado a medalha de prata no campeonato da Europa de juniores.

Foi campeã nacional em 2009 e 2010, depois de ter conquistado em 2007 a medalha de bronze, em Yalta, na taça da Europa de lançamentos.

Representou distintos clubes e o nosso país em diversas competições nacionais e internacionais, a última das quais nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Em Março de 2021, bateu o recorde nacional do lançamento do disco, invicto desde 1998, fixando-o na marca de 66,50m.

 

Medalha de Honra do Município ao “Agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português”

Integrado no movimento escutista, nasceu em 1971, na Baixa da Banheira, o Agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas que completa no próximo dia 28 de Novembro 50 anos.

Prosseguindo os valores do Movimento Escutista Internacional, nomeadamente, a educação integral dos jovens, contribuindo para o seu desenvolvimento, ajudando à sua realização plena, quer do ponto de vista físico, quer intelectual, social e espiritual, este agrupamento, pela sua longa história, acolheu diversas gerações que com ele aprenderam estes valores e os transmitiram, contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis e intervenientes na comunidade local.

Em reconhecimento da sua história e do seu papel ao longo das últimas cinco décadas, a Câmara da Moita decidiu atribuir ao Agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas a Medalha de Honra do Município.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Leonor Amado foi encontrada viva hoje de manhã caída num penhasco em Palmela

A idossa foi socorrida pelos Bombeiros de Palmela, tendo sido levada para os Hospital de S. Bernardo, em Setúbal, de onde teve alta ainda hoje cerca das 20h00

Última Hora: Vitória aprova venda de 89% da SAD a investidor

Última Hora: Vitória aprova venda de 89% da SAD a investidor

Superpolícias da esquadra do Montijo sagram-se campeões europeus de jiu-jitsu

Ouro de José Peres e João Pavia soma a méritos profissionais: um já salvou uma vida humana; o outro efectou detenções fora de serviço
- PUB -