23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Marcha lenta com dezenas de viaturas exige reparação de estrada em Melides

Marcha lenta com dezenas de viaturas exige reparação de estrada em Melides

Marcha lenta com dezenas de viaturas exige reparação de estrada em Melides

Protesto convocado pelo Movimento Basta 261 obrigou ao corte temporário da circulação da Estrada Nacional 261

 

Algumas dezenas de viaturas participaram hoje numa marcha lenta pela reparação da Estrada Nacional 261 (EN261), em Melides, em Grândola, num protesto que obrigou à circulação alternada do trânsito, indicou a GNR.

- PUB -

O protesto, convocado pelo Movimento Basta 261, com uma concentração junto à EN261, seguida de uma marcha lenta, obrigou, temporariamente, à circulação alternada do trânsito naquela via de acesso ao concelho vizinho de Santiago do Cacém.

Durante a concentração, que “contou com cerca de 50 pessoas”, a estrada “nunca esteve cortada e o trânsito circulou de forma alternada”, disse à agência Lusa fonte do Destacamento da GNR de Grândola.

De acordo com a mesma fonte, o protesto “arrancou às 07h30 e terminou às 10h50”, após a realização da marcha lenta, a qual mobilizou “cerca de 30 viaturas até à zona da Cascalheira”, no concelho de Santiago do Cacém.

- PUB -

Também contactado pela Lusa, Bruno Mateus, presidente da Junta de Freguesia de Melides e um dos elementos do movimento, que junta também habitantes locais, disse estar satisfeito com “a grande afluência da população” ao protesto.

Este responsável alegou que os manifestantes cortaram “na totalidade” a estrada durante “cerca de 10 minutos”, mas a intervenção da GNR impossibilitou a continuação dessa forma de protesto.

“Conseguimos chegar a um entendimento e ficámos com uma via [cortada] durante uma hora”, ou seja, uma das duas faixas de rodagem, explicou.

- PUB -

Bruno Mateus apresentou números diferentes daqueles que foram referidos pela GNR quanto ao número de veículos participantes nesta iniciativa.

“Foram contabilizados cerca de 100 viaturas”, disse, referindo que os manifestantes percorreram aquela estrada nacional “até à extrema da freguesia de Melides” e fizeram o sentido inverso.

Segundo Bruno Mateus, tratou-se de “um grito de revolta da população visto que o estado de degradação” da EN261 “é cada vez maior”.

E só avançou depois de “um a dois anos de reclamações por parte da junta de freguesia, câmara municipal e população para arranjarem aquela estrada”, alegou.

Esta é uma situação, frisou, que “causa transtorno à população”, que se queixa “de danos nas viaturas” que diariamente circulam naquela via.

Apesar “deste grito de alerta e revolta da população, vamos continuar a fazer as reclamações” junto da Infraestruturas de Portugal, prometeu.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -