19 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Conjugação das procissões fluvial e terrestre é um dos pontos altos dos festejos

Conjugação das procissões fluvial e terrestre é um dos pontos altos dos festejos

Conjugação das procissões fluvial e terrestre é um dos pontos altos dos festejos

Frederico Rosa realça recuperação do ritual marítimo que, na edição anterior, aliou-se à romaria terrestre

 

Um dos momentos mais aguardados nas Festas em Honra de Nossa Senhora do Rosário é a realização da Procissão Fluvial (designada de Marítima) aliada à Procissão Terrestre, iniciativa que se repete este ano depois de ter sido experimentada na edição anterior.

- PUB -

Para Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, a ocasião reveste-se de carácter especial. E, em entrevista recentemente concedida a O SETUBALENSE e à rádio Popular FM, o autarca explicou o sentimento de satisfação.

“Um orgulho muito exacerbado, quando na pandemia, não se podendo realizar a Procissão Terrestre, voltámos a pegar numa tradição que foi a realização da Procissão Marítima. O ano passado, pela primeira vez, fizemos a conjugação das duas: marítima e terrestre. Foi extraordinário e este ano vamos repetir, porque o Barreiro é uma terra de pescadores”, disse.

A manifestação religiosa tem lugar no feriado de Assunção de Nossa Senhora, 15 de Agosto. O embarque das Imagens de Nossa Senhora e São Pedro está programado para as 14h15, na Doca dos Pescadores “Os Camarros”, de onde a romaria se fará ao Tejo pelas 15h30. O desembarque e regresso das Imagens à Igreja de Nossa Senhora do Rosário está previsto para as 17h45 e, cerca de meia-hora depois, é iniciada, a partir do santuário, a Procissão Terrestre.

- PUB -

Para já, as expectativas estão ao rubro no Barreiro. Até porque, justificou Frederico Rosa, ao longo dos últimos anos, “as festas têm alcançado um sucesso tremendo”.

“Este ano não espero nada menos do que isso! Espero, acima de tudo, que as Festas do Barreiro sejam um ponto de encontro de todos os barreirenses, dos que vivem no Barreiro, dos que estão fora, dos nossos vizinhos dos outros municípios que vêm ao Barreiro”, frisou.

“Um dos objectivos que tivemos desde início foi que as festas fossem uma referência na região, que trouxessem gente de todo o lado”, adiantou, para destacar ainda a importância da confraternização em segurança a par da oferta cultural. “É muito importante apostar-se no cartaz, mas é muito importante também olhar-se para o recinto das festas como um todo e que as pessoas estejam à-vontade para levar as crianças, enfim, a família, irem jantar, irem ver os espectáculos e ficarem a seguir, visitarem a mostra empresarial que também temos, a Barrind”, rematou.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -