12 Agosto 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalBarreiroObra sobre Coina debruça-se sobre anos de actividade humana nas margens do...

Obra sobre Coina debruça-se sobre anos de actividade humana nas margens do Rio

Publicação orientada pelo co-autor Luís Pedro Cerqueira já se encontra disponível

 

- PUB -

O auditório da Startup Barreiro acolheu ao final da tarde da última sexta-feira a apresentação da obra “Rio Coina | Autoestrada ao Serviço da Biodiversidade após 2000 anos de Actividade Humana”. Durante o evento, Sara Ferreira, vereadora da Cultura desta autarquia, destacou o papel do ex-vereador João Pintassilgo no lançamento desta edição, coordenada pelo arquitecto Luís Pedro Cerqueira.

O co-autor destacou o empenho da equipa que levou à publicação da obra, que envolveu um total de cinco elementos, tendo referido o “entusiasmo” demonstrado pelo actual presidente da autarquia, Frederico Rosa. O trabalho contou com um prefácio do autarca montijense Nuno Canta, tendo o posfácio sido da responsabilidade do biólogo José Augusto Baptista.

O documento dá a conhecer os objectivos e propostas em sectores como o território, mobilidade, ambiente, turismo, infra-estruturas, património ou segurança e conta com a existência de desenhos e quadros em anexos à publicação, que permite “criar sinergias com a Área Metropolitana de Lisboa”, algo que é considerado “fundamental num projecto com estas características”.

- PUB -

Na nova publicação, que conta com uma série de mapas, com descrição histórica, identificação e georreferenciação de todos os locais situados nas margens do Coina, é dada particular atenção ao corredor ecológico existente nesta área do território, enquanto “autoestrada genética” essencial para manutenção da biodiversidade num município humanizado.

O livro permite ainda estender “a identidade do coberto vegetal da Arrábida até ao estuário do Tejo” e promove a ligação entre as diferentes áreas de elevado valor natural, tais como a mobilidade da fauna, dispersão genética, através de esporos, pólen e de sementes que conduzem ao “aumento da cobertura vegetal com espécies autóctones”.

O Rio Coina é um afluente do Tejo, que nasce no Parque Natural da Arrábida, percorrendo cerca de 25 quilómetros até à sua foz, no município barreirense, sendo uma “via de comunicação privilegiada” que estabelece a ligação desta serra à zona do estuário. “É um território para uma mudança de paradigma através de uma estratégia de amenização dos impactes de dois milénios de actividades humanas no meio ambiente e para a implementação de medidas”, que visem a mitigação dos efeitos das alterações climáticas.

- PUB -

A obra explicita e sistematiza “um conjunto amplo e diversificado de propostas existentes, com incidência directa ou indirecta” na frente ribeirinha do Coina. O trabalho disponibiliza ainda a todos “um contributo para tornar mais apelativa e participada a discussão pública”, com o objectivo de potenciar a construção e concretização de uma visão e estratégia concelhia na frente ribeirinha do território.

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -