26 Junho 2022, Domingo
- PUB -
InícioLocalBarreiroObras no Moinho de Maré Grande paradas para avaliação arqueológica

Obras no Moinho de Maré Grande paradas para avaliação arqueológica

DGCP decidiu parar obra em Abril e equipa de arqueólogos já está no terreno

 

- PUB -

A obra na zona do Moinho de Maré Grande, em Alburrica, foi suspensa por um parecer da Direcção-Geral do Património Cultural (DGCP), para avaliação arqueológica dos trabalhos, que o município barreirense garante já estar a ser feita. Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente da autarquia, Rui Braga, confirmou que “foi parada a obra, mas já está uma equipa de arqueólogos no terreno com a expectativa de dentro de duas semanas ser possível iniciar alguns pontos [da intervenção]”, adiantou.

O moinho em causa é parte integrante do sítio de Alburrica e Mexilhoeiro e o seu património moageiro, ambiental e paisagístico encontra-se classificado como Sítio de Interesse Municipal (SIM), tendo concluído a sua actividade exclusivamente moageira no ano de 1892.

A obra de recuperação deste espaço foi suspensa no mês de Abril, por um parecer técnico da DGCP, após a Associação Património Memória e Futuro ter enviado documentação para aquela entidade e ter acusado a autarquia de estar a proceder a “um atentado ao património cultural” desta zona do município.

- PUB -

No parecer, aquela direcção-geral refere que, após uma visita realizada ao local, foi possível constatar a afectação integral do Moinho de Maré Grande, incluindo o desmonte completo do seu embasamento aparelhado e sistema de arcadas dos rodízios, assim como indícios de destruição de estacaria de madeira aparentemente pertencente às suas fundações.

Embora a instituição tenha considerado meritória a intenção de reabilitação do bem classificado, refere que “lamentavelmente, com as intervenções realizadas e projectadas, a sua execução nos moldes propostos [com demolição do moinho e afectação da caldeira] resultou na destruição irreversível do património cultural, recurso finito, frágil e não renovável, e perda de informação científica”, sublinhou.

A DGCP acrescenta que havia a necessidade de um Pedido de Autorização para Trabalhos Arqueológicos (PATA), que não foi feito inicialmente. Após este parecer, o executivo camarário reuniu com a entidade e avançou com o pedido de autorização, que foi, entretanto, aprovado, ficando agora o levantamento da suspensão da obra dependente da apreciação daquela direcção-geral a um relatório preliminar da acção arqueológica.

Autarquia barreirense espera que trabalhos arqueológicos sejam concluídos dentro de duas semanas
- PUB -

O relatório deverá incluir uma proposta concreta e fundamentada de medidas de minimização do impacto arqueológico, em articulação com o faseamento de trabalhos que vão ser executados. À agência Lusa, o autarca barreirense explicou que esse trabalho já está a ser feito e disse esperar que, à medida que se avance, seja possível libertar frente da obra para o projecto prosseguir.

“A DGCP autorizou a câmara a fazer os trabalhos e o que ganhámos é que, à medida que vão sendo feitos os trabalhos […], serão libertadas frentes de obra”, afirmou, esperando que em duas semanas sejam “feitos os trabalhos arqueológicos” e que sejam “libertadas as frentes desta intervenção”, afirmou. “Espero [em breve] ter máquinas no moinho numa frente de obra que começa pelos pontões”, tendo justificado que “é essa a nossa estratégia” e “que os trabalhos andem o mais célere possível”, afirmou.

“A autarquia não ignorou a sensibilidade do espaço”, destacou, informando que “é preciso que as pessoas entendam o que estamos a tentar fazer, devolvendo-lhe o espaço, sem perder os fundos europeus que foram garantidos.

Com Lusa

Comentários

- PUB -

Mais populares

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -