18 Maio 2022, Quarta-feira
- PUB -
InícioLocalBarreiroCTT e Quercus avançam com plantação de 6 700 árvores na Mata...

CTT e Quercus avançam com plantação de 6 700 árvores na Mata da Machada

Acção organizada pela associação decorre nos próximos dias 27 e 28, conta com a colaboração do ICNF e da autarquia barreirense

 

- PUB -

Os CTT – Correios de Portugal e a associação Quercus anunciaram esta segunda-feira que vão avançar nos próximos dias 27 e 28, com a plantação de mais 6 700 árvores na Mata Nacional da Machada, doadas pelos portugueses e estrangeiros na sequência da iniciativa “Uma Árvore pela Floresta”, convidando a população a participar de “forma voluntária e activa para a reflorestação” desta zona do distrito.

As plantações destas espécies autóctones correspondem ao número de kits adquiridos pelo público durante o ano passado, no âmbito da oitava edição desta campanha.

De acordo com os CTT, as pessoas que queiram participar como voluntárias nesta acção, poderão fazê-lo, bastando para isso que enviem um e-mail ([email protected]) a confirmar a sua intenção de inscrição e indiquem o seu nome completo e o número de Cartão de Cidadão.

- PUB -

Caso ainda não tenham registado o seu kit em umaarvorepelafloresta.quercus.pt, os Correios lembram os interessados que ainda poderão fazê-lo.

Recorde-se que a Mata da Machada é um local privilegiado, com 370 hectares, sendo considerada o “pulmão da cidade” do Barreiro, tendo como espécies arbóreas dominantes o pinheiro-bravo e o pinheiro manso, assim como o sobreiro, podendo encontrar-se ainda espécies mediterrânicas como o carrasco, o medronheiro, a murta e as urzes.

Além disso, as diferentes formações vegetais e a topografia existentes, tornam a Machada num “excelente habitat para diversas espécies animais”, com destaque para a avifauna, com a presença do chapim-azul e do abelharuco, da água-de-asa-redonda e da pega-azul. No local é também possível visitar o Centro de Educação Ambiental da Mata da Machada e o Sapal do Coina.

- PUB -

Protecção adicional para futuras pandemias

“A concretização destas plantações demonstra o compromisso da Quercus e dos CTT em mobilizar a sociedade para a importância da nossa floresta e para a sua recuperação”, referem os CTT, que lembram que qualquer participante na iniciativa “está a contribuir para a reflorestação de Áreas Protegidas e Classificadas em todo o país”.

E adiantam: “O papel das florestas, das espécies florestais e dos serviços de ecossistemas que elas prestam é essencial para a nossa existência e constitui uma protecção adicional para futuras pandemias”, sublinham.

A oitava edição da referida campanha encontra-se a decorrer e o novo kit, a Prunun avium ou cerejeira-brava já podem ser adquiridos, tanto nas lojas físicas como online dos CTT.

Os kits vendidos são convertidos em árvores e arbustos de espécies autóctones, tais como o freixo e o sobreiro, a azinheira e medronheiro, ou o castanheiro, de entre 30 espécies que são plantadas em áreas protegidas e zonas classificadas, com a participação activa de todos os voluntários.

Neste âmbito e graças ao contributo de milhares de pessoas, já foram plantadas mais de 100 mil árvores autóctones em Portugal, sendo que estas acções são organizadas no terreno pela Quercus, em colaboração com o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e da autarquia barreirense, numa operação que envolve a participação dos alunos das escolas do concelho e os próprios autocarros dos Transportes Colectivos do Barreiro.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Igor Khashin e Yulia Khashina: “O nosso trabalho de 20 anos foi destruído num dia”

Casal russo que está no centro da polémica com o acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal responde a todas as perguntas

“A Judiciária que investigue, não temos nada a esconder”

Igor Khashin e Yulia Khashina falam pela primeira vez após o inicio da polémica

Matias Damásio a abrir com The Gift pelo meio e Dulce Pontes a fechar as Festas de São Pedro

Calendário das três actuações está definido. Depois de dois anos de interregno, a tradição volta a ser o que era
- PUB -