12 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Dois homens detidos em Almada acusam PSP de agressão e sequestro

Dois homens detidos em Almada acusam PSP de agressão e sequestro

Dois homens detidos em Almada acusam PSP de agressão e sequestro

Pai e filho dizem ter sido assistidos no Hospital Garcia de Horta depois da violência policial

 

Dois homens que foram detidos no sábado, em Almada, por alegadas agressões a elementos da polícia num concerto nas festas da cidade, foram ouvidos ontem pelo Ministério Público, mas acusam a PSP de agressão e sequestro.

- PUB -

Numa informação enviada à Imprensa, a Polícia de Segurança Pública afirma que “os mesmos tornaram-se violentos para com os polícias, tendo-os injuriado, ameaçado e agredido com pontapés”, mas Tiago Moreira, um dos detidos, negou à agência Lusa qualquer comportamento violento.

“Estava no local há dois ou três minutos e sou expulso por um segurança e foi aí que tudo começou. Fui logo agredido por um PSP com um soco na cara. O meu pai, que tem 62% de incapacidade, foi-me socorrer. Fomos algemados e levados para a esquadra de Almada”, relatou o mais jovem, de 32 anos.

Segundo Tiago Moreira, os polícias “não alegaram nada” para deter os dois homens, aos quais “retiraram as carteiras e os telemóveis”, levando-os para a esquadra onde ficaram “sequestrados” até “cerca das 03h00” de domingo.

- PUB -

À Lusa, o pai de Tiago Moreira, de 55 anos, confirmou que foi “em auxílio” do filho quando este “se terá desentendido com um segurança” ao sair da zona do backstage do concerto, onde foi “devidamente autorizado”, e que “foi nesse momento que começaram as agressões”.

Aníbal Moreira adiantou ainda que a notificação para comparecer hoje no Tribunal de Almada referia “agressões na via pública”, mas não especificava “quem teria sido alegadamente agredido”.

Os dois homens disseram também que foram assistidos no Hospital Garcia de Orta, em Almada, devido aos ferimentos “provocados pelas agressões da polícia”.

- PUB -

Em comunicado enviado hoje à imprensa, a PSP confirma que, “já nas instalações policiais”, os dois “foram assistidos pelos bombeiros devido a escoriações resultantes dos desacatos em que haviam estado envolvidos” e que pediram para ir ao hospital, onde “foram conduzidos” e “permaneceram entre as 00h15 e a 01h30 sob acompanhamento policial”.

Segundo o comunicado, no dia dos acontecimentos, “foi solicitada a presença da PSP na zona do palco por se encontrarem dois indivíduos a tentar aceder a uma área reservada aos artistas” e, quando os agentes chegaram ao local, “visualizaram um dos homens (filho) a atirar-se para o chão enquanto três assistentes de recinto de espectáculos o tentavam acalmar”.

“Mesmo na presença da PSP, ambos os indivíduos continuaram a ameaçar os assistentes, manifestando comportamento bastante exaltado e descontrolado, apresentando fortes indícios de estarem alcoolizados”, refere a nota da polícia.

Segundo a PSP, os dois “foram identificados e foi-lhes solicitado que abandonassem o local”, mas os dois homens “recusaram-se a sair”.

“A partir desse momento, tornaram-se violentos para com os polícias, tendo-os injuriado, ameaçado e agredido com pontapés, motivos que levaram à detenção dos dois suspeitos”, explica a força policial.

Os dois homens foram notificados para comparecer hoje, às 09h30, no Tribunal Judicial de Almada, onde, pelas 11h30, ainda aguardavam para serem ouvidos pelo Ministério Público.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -