12 Agosto 2022, Sexta-feira
- PUB -
InícioLocalAlcácer do SalDo restaurante “Boa Viagem” a uma estação de carregamento Tesla

Do restaurante “Boa Viagem” a uma estação de carregamento Tesla

50 anos de um sonho de família tornado realidade

 

- PUB -

Isabel Correia é, neste momento, em conjunto com as suas duas irmãs, responsável pela herança deixada pelo pai António, traduzida no restaurante “Boa Viagem”, nos postos de abastecimento de combustível e nos postos de carregamento rápido Tesla localizados na Estrada Nacional 5.

Todas estas actividades acontecem no mesmo espaço, a sete quilómetros do centro de Alcácer de Sal. A 24 de Junho, o restaurante completou 50 anos e Isabel Correia conta a O SETUBALENSE de que se faz esta longa história de trabalho, dedicação e continuação deste projecto familiar.

Os supercarregadores da Tesla colocam Alcácer do Sal na rota da marca

“O meu pai era de Vila Nova de Cacela, no Algarve, e era motorista de pesados. Fazia várias vezes o percurso de Vila Real de Santo António para Lisboa, Peniche e outros sítios a norte. Entretanto conheceu a minha mãe. Quando casaram, a minha mãe tinha 18 anos e o meu pai 29”, começa por dizer.

- PUB -

“Já na altura os meus avós tinham várias casas de comércio dentro deste género. O meu pai era de facto um homem muito empreendedor e lembrou-se que à entrada de Alcácer do Sal não existia nada e fazia sentido construir um posto de abastecimento e um restaurante para que os colegas tivessem um sítio familiar”, recorda.

Os pais de Isabel começaram por comprar pequenas parcelas de terreno. “Onde está mesmo o posto de abastecimento e o restaurante é o primeiro bocado de terra que o meu pai comprou”, conta.

“Ele teve esta ideia e este sonho, levou dois anos a construir tudo mas conseguiu. Tudo aquilo a que se propôs realizou. O restaurante abre com o meu pai ao balcão e alguns empregados e com a minha mãe na cozinha, no fogão, com duas ajudantes, e assim se mantém nos primeiros anos”, adianta.

- PUB -

Na hora de escolher que nome dar, o pai de Isabel não teve dúvidas. Seria “Boa Viagem” e quando a sua esposa o questionou, esclareceu: “Quando vais de viagem para algum lado o que é que queres fazer?”.

Isabel reconhece e admira a persistência, os sonhos e a vontade de os realizar do pai, que faleceu há 26 anos. “Desde então fomos nós, as filhas, que agarrámos na vida que ele deixou, em conjunto com a nossa mãe sempre a tomar conta de tudo. Temos passado por algumas complicações, tal como o mundo inteiro, mas acho que soubemos sempre manter o que os nossos pais nos ensinaram e fizeram crer que era possível”, diz.

Na equipa “Boa Viagem”, existem trabalhadores com 48 anos de casa: “somos mais uma família que uma empresa, com muitas histórias para contar. Muito nos orgulha ter chegado aos 50 anos desta casa”.

Chegaram a ter três postos de abastecimento e 80 funcionários e recebem ainda hoje famílias inteiras que, de geração em geração, acumulam e guardam memórias do espaço.

Dos postos de abastecimento de combustível aos de carregamento de carros eléctricos

Há três anos, a família “Boa Viagem” recebeu a visita de um representante da Tesla, propondo uma parceria para colocar os carregadores da marca no terreno ao lado do restaurante.

“Confesso que neste momento foi fundamental a ajuda dos nossos filhos, mais jovens, com outra perspectiva, que nos disseram para aceitar porque isto seria o futuro”, refere.

“Eu e a minha irmã Paula embarcámos nesta aventura, cedemos o terreno e decidimos apostar no futuro, que realmente passará pelos carros eléctricos. Acabamos por ter no mesmo espaço uma espécie de contra-senso, com um posto de abastecimento de combustíveis desde há 50 anos e um novo posto de carregamento eléctrico com dez postos”, acrescenta.

Isabel Correia considera que “se há 50 anos o meu pai teve uma visão de que o futuro seria os combustíveis, eu acho que nós, enquanto filhas, herdámos isso e também achamos que o futuro passa pelos carros eléctricos. Quando deixarmos de ter combustíveis, temos os carros eléctricos”.

Sobre esta parceria com a marca norte-americana, que define como “boa de parte a parte”, diz ainda que esta foi uma forma de meter Alcácer do Sal no mapa: “por incrível que pareça, quando um condutor de um carro Tesla está na Holanda e traça o seu caminho para Portugal, aparece-lhe de imediato, no mapa onde estão identificados os carregadores, a cidade de Alcácer”.

Nas suas palavras, a “Tesla traz mais-valia para a região. Não são todas as cidades do nosso país que se podem orgulhar de dizer que entraram neste sistema dos carros eléctricos e se estamos todos a pensar no ambiente esta é uma maneira de o concretizarmos”.

A alcacerense partilha ainda que nos primeiros meses da existência dos supercarregadores na Estrada Nacional 5, as pessoas ficavam por ali, nas suas instalações, mas com o passar do tempo nota que começaram a explorar a zona e a conhecer melhor Alcácer do Sal, o que traz mais dinâmica à região.

“Para nós, é uma mais-valia esta parceria que estamos a fazer e queremos continuar no futuro. A nossa casa quer estar na rota do futuro, não queremos ficar parados no tempo nem voltar 50 anos para trás. Queremos andar para a frente”, remata.

Comentários

- PUB -

Mais populares

PSP de Setúbal sem meios para se deslocar a atropelamento em frente à esquadra

Acidente na Avenida Luísa Tody fez uma vítima de 88 anos

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -