28 Novembro 2021, Domingo
- PUB -
InícioLitoral AlentejanoContrato de exploração da mina da Lagoa Salgada já foi assinado

Contrato de exploração da mina da Lagoa Salgada já foi assinado

Concessão de 13 mil hectares entre Alcácer e Grândola foi entregue à EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro, através da Redcorp, multinacional de capitais canadianos

 

- PUB -

O contrato de concessão para exploração de metais na Mina da Lagoa Salgada, nos concelhos de Grândola e Alcácer do Sal (Setúbal), foi assinado em Outubro com a empresa Redcorp, divulgou a Direcção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

O contrato de concessão, publicado na página da internet da DGEG e consultado hoje pela agência Lusa, foi assinado a 28 de Outubro entre o Estado português, através da Direção-Geral de Energia e Geologia, e a Redcorp, empreendimentos mineiros, Lda.

Em 28 de Outubro foram assinados nove contratos, cinco para exploração mineira e quatro de prospeção e pesquisa em várias zonas do país.

- PUB -

A Redcorp, empresa sediada em Braga, tem um consórcio com a EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro, tendo sido atribuída a esta sociedade a concessão de exploração de depósitos minerais metálicos de cobre, chumbo, zinco e metais associados, em regime de exclusividade.

A área de concessão de exploração na denominada zona mineira de Lagoa Salgada abrange uma área de cerca de 13.333,9 hectares.

O contrato agora assinado tem um período de vigência de 20 anos, podendo ser prorrogado uma ou duas vezes, por ciclos de 15 anos cada.

- PUB -

Estabelece ainda que a empresa tem um prazo máximo de dois anos para elaborar e apresentar o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) e elaborar o Estudo de Viabilidade Técnico-Económica de Exploração.

Após a apresentação do EIA tem dois anos para obter a Declaração de Impacte Ambiental (DIA) favorável ou favorável condicionada.

Mediante aprovação da Direcção-Geral de Energia e Geologia pode ainda executar sondagens na área de concessão e/ou outros trabalhos ou estudos complementares que visem contribuir para melhorar o conhecimento dos depósitos minerais, e instalar uma Unidade Experimental Minero-Metalúrgica.

O contrato indica que a Redcorp tem um prazo máximo de nove anos para iniciar a exploração, em conformidade com o Plano de Lavra e o EIA aprovados, instalar uma unidade de tratamento e beneficiação (lavaria) e obter o respectivo licenciamento para produção de concentrados de zinco, chumbo, cobre e metais associados.

Define também que a empresa deve localizar a sua sede num dos municípios da área de concessão, antes do início da exploração, e, no âmbito da responsabilidade social, obriga-se a trabalhar em conjunto com as câmaras de Grândola e Alcácer do Sal na elaboração de um plano de partilha de benefícios sociais e ambientais dos municípios e populações vizinhas à área da concessão.

Prevê igualmente que a sociedade deve, sempre que possível, recorrer a mão-de-obra local e regional, estabelecendo acordos de formação com as instituições académicas e de formação profissional regionais.

A sociedade tem de pagar à DGEG um valor de 250 mil euros como prémio pela atribuição da concessão e tem como encargo de exploração a obrigação de pagar anualmente uma percentagem, no mínimo de 3% sobre o Valor à Boca da Mina dos produtos minérios e os concentrados expedidos ou utilizados.

Deste encargo, dois terços são pagos à DGEG e um terço são pagos aos municípios de Grândola e Alcácer do Sal.

A consulta pública para a atribuição da concessão mineira da Lagoa Salgada decorreu até 01 de Novembro e recebeu 11 participações no portal “Participa”.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Área Metropolitana de Lisboa assegura transporte rodovidário sadino até chegada da Carris Metropolitana

É necessário "dar continuidade às Autorizações Provisórias até a entrada do novo operador, de forma a evitar a ruptura dos serviços públicos de transporte rodoviário de passageiros no concelho de Setúbal"

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -