2 Dezembro 2021, Quinta-feira
- PUB -
InícioDossiêEspecial 165 AnosCorrearia JP: Produtos em couro são estrelas em negócio de família desde...

Correaria JP: Produtos em couro são estrelas em negócio de família desde 1914

Dos arreios e albardas, que hoje têm pouca saída, a loja evoluiu, dentro dos antigos ofícios, para a produção de peças em cortiça

“A Correaria JP é uma loja centenária, da qual eu sou proprietário há 27 anos”, diz-nos João Paulo Pereira, herdeiro do negócio de família de produção e comércio de artigos em pele e cortiça, em Santiago do Cacém.

- PUB -

“A correaria foi aberta pelas mãos do meu avô paterno”, conta, por volta de 1914. Este, natural de Ferreira do Alentejo, mudou-se para Santiago do Cacém na sua juventude, e abriu uma loja, dedicando-se “ao comércio de arreios e albardas para os animais, que eram na altura os meios de transporte”.

Na mesma rua, mudou de instalações para umas maiores, onde é hoje ainda a loja e, “iniciou o fabrico de colchões”, numa altura em que empregava quatro pessoas. Porém, expôs João Paulo, “com o evoluir dos tempos, o seu volume de vendas começou a diminuir”, e, “de quatro filhos, apenas o [seu] pai se dedicou a dar continuidade a esta actividade.”

Seguindo os passos do progenitor, o actual proprietário da correaria, diz ter crescido no meio e por isso ter ganho gosto pela área. Começou “por trabalhar em couro, a fazer cintos, carteiras, pastas, dando continuidade ao fabrico dos arreios e das coleiras para os animais”. No entanto, explicou, teve de inovar. “Na sociedade em que vivemos temos que inovar para um negócio tradicional sobreviver. De há 10 anos para cá, a Correaria JP dedicou-se ao fabrico de peças em cortiça, mas mantendo sempre a sua essência, que são os produtos em couro.”

- PUB -

João Paulo dedica-se então à produção de artigos para uso pessoal como malas, para decoração do lar, como almofadas e faz “alguns prémios para eventos culturais e desportivos”. E mais acrescentou que também se dedicam “a algumas restaurações de artigos de pele.” Embora trabalhe sozinho no fabrico, “para a promoção e as vendas dos artigos”, conta com a colaboração da esposa e dos filhos. Quanto à continuidade do negócio por parte do legado, a resposta é incerta, acredita que é possível que continuem optando por um “talvez”, com cada filho em sua função – produção e gestão de vendas.
João Paulo acredita que o ponto forte daquilo que faz, é “o orgulho [que tem] de manter vivo o negócio centenário” e, a tentativa de “acompanhar as mutações do mercado”. Já como maior adversidade, indica o facto de a população não dar grande valor ao que é nacional e ao fabrico artesanal.

A Correaria JP tem lugar na famosa Rua das Lojas, em Santiago do Cacém, isto é, na Rua General Humberto Delgado. João Paulo diz continuar com o negócio para “dar continuidade ao projeto estabelecido” pelos familiares, de forma a homenageá-los e “para manter viva a tradição dos antigos ofícios”, mesmo com as dificuldades que existem.

[Fancy_Facebook_Comments language="pt_PT"]
- PUB -

Mais populares

Dirigir o Vitória Futebol Clube no feminino: as mulheres nos actuais órgãos sociais do clube sadino

Sara Ribeiro, Ana Cruz, Dulce Soeiro e Helena Parreira partilham as suas vivências no clube, cujo regresso à I Liga tanto anseiam   Quando questionadas sobre...

António Costa anuncia que Portugal vai pedir à União Europeia que Península de Setúbal passe a ser uma NUT II

O primeiro-ministro diz que a Península de Setúbal está a ser fortemente penalizada por estar integrada na estrutura nominal da AML  

Volkswagen anuncia novo investimento de 500 milhões na Autoeuropa nos próximos cinco anos

Valor vai ser aplicado "em produto, equipamento e infra-estruturas", explicou Alexander Seitz
- PUB -