27 Junho 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioDossiê20 Setubalenses 20 Artistas20 Setubalenses, 20 Artistas. Piedade Fernandes e o Fado criminalmente irresistível

20 Setubalenses, 20 Artistas. Piedade Fernandes e o Fado criminalmente irresistível

Depois de alguns meses dedicados apenas a produção regressamos com a voz de Piedade Fernandes, na tradição do fado setubalense e na mira da série La Casa de Papel

 

- PUB -

“Um casamento entre a série de televisão, La Casa de Papel, e a figura da fadista”. É assim que Piedade Fernandes vê o momento captado pela objectiva de Alex Gaspar.

O convite para participar no projecto “20 Setubalenses, 20 Artistas” surgiu ao encontro de “uma Piedade que estava algo esquecida pelo público setubalense e que reconquistou uma certa força quando, de repente, o ‘Fado Boémio e Vadio’ aparece tocado na TV”.

Entre tiros certeiros e momentos de adrenalina, ‘Fado Boémio Vádio’ tornou-se criminalmente irresistível. Marca de uma das cenas mais icónicas da série espanhola mundialmente aclamada, La Casa de Papel.

- PUB -

O momento trouxe à fadista setubalense, “uma força mais presente” e o regresso aos palcos que a pareciam ir esquecendo. “É natural que uma geração de artistas vá dando lugar a outra. Surgem novos rostos, novos talentos”, revela. Ainda assim, a voz de Piedade deixa no ar a tristeza de um fado onde o esquecimento tomou conta das coisas.

 

Fado, ele, um boémio vadio

- PUB -

 

“Há um fado que é cantado, há um outro que é sentido. Há um fado maltratado, outro que anda perdido. Há um fado que é saudade, outro que é alegria. O Fado não tem idade, será sempre companhia. Por ser boémio, vadio é como um navio, que chega à noitinha. Tomou-me conta da alma, tirou-me da calma, nem disse ao que vinha! Seja qual for o motivo, o fado está vivo, cá dentro de mim!”. Este é o famoso ‘Fado Boémio Vadio’ e poderia ser a história da carreira vivida, até agora, por Piedade Fernandes.

Em 1994 a fadista conquistou o quarto lugar no Festival da Canção e entrou no estrelato como grande intérprete. Dois anos depois, o tema ‘Fado Boémio e Vadio’ chegou à carreira de Piedade Fernandes gravado com música de Nuno Nazareth Fernandes e letra de Henrique Amoroso. E, em 1998, o sucesso deste fado desafiante estourou com o álbum ‘Alto Mar’. O último lançado pela fadista.

Hoje, Piedade Fernandes vive entre a música, a dedicação à vida empresarial liga ao turismo e as aulas enquanto professora de Educação Visual.

Pelo caminho das cenas e canções que compõem a sua carreira,  a fadista recorda tempos em que “o Fado era muito vivido em Setúbal”. Depois, ficou “algo esquecido”, até ser recuperado por uma nova geração de fadistas, “com força, garra e muita alma”. Artistas que afirmam a sua música “numa cidade que sabe receber a arte, apenas deve valorizar mais o que tem dentro de portas”.

 

Fotografia: Alex Gaspar

Comentários

- PUB -

Mais populares

“Queremos ser uma das maiores potências desportivas do distrito de Setúbal”

Tiago Fernandes, presidente do Juventude Sarilhense

Avó e mãe de Jéssica cantaram em programa da TVI enquanto menina estava sequestrada

Família materna da vítima marcou presença em caravana de “Uma Canção Para Ti” na véspera da morte da criança

Menina de três anos morre em caso suspeito de maus tratos pela ama

Criança apresentava ferimentos na boca e nariz e hematomas no corpo. Ama disse que tinha caído de uma cadeira no dia anterior
- PUB -