14 Maio 2024, Terça-feira

- PUB -
Triunfo na derradeira jornada vale permanência na 2.ª Divisão nacional

Triunfo na derradeira jornada vale permanência na 2.ª Divisão nacional

Triunfo na derradeira jornada vale permanência na 2.ª Divisão nacional

Objectivo cumprido. Um ano depois de ter assegurado a subida da 3.ª Divisão ao Campeonato Nacional de futsal da 2.ª Divisão, o Vitória confirmou sábado que vai em 2024/25 manter-se no segundo escalão da modalidade. O triunfo, por 6-5, alcançado sobre o Futsal Azeméis, no pavilhão Antoine Velge, na derradeira jornada da fase de manutenção (série 1) foi decisivo para atingir a meta traçada no início da época.

A jogarem em casa, os comandados de Naná fizeram o que lhes competia numa partida emocionante em que a incerteza no marcador durou até ao último segundo. O golo que deu o triunfo aos verdes e brancos surgiu já na recta final do encontro e foi apontado por Gonçalo Banha, aos 38 minutos, momento em que foi desfeita a igualdade a cinco golos, resultado que não serviria aos sadinos.

O conjunto setubalense, que terminou no 6.º posto da tabela (o primeiro acima dos lugares de descida), beneficiaram ainda da derrota (4-3) do Paços de Ferreira (7.º com os mesmos 17 pontos) diante do Retaxo, resultado que permitiu aos vitorianos celebrarem a manutenção devido à vantagem no confronto directo com os ‘castores’, adversário que o Vitória derrotou (5-3) em Paços de Ferreira e empatou (5-5) em Setúbal.

Em relação ao embate de sábado com o Futsal Azeméis, equipa que entrou em campo em 2.º lugar, o Vitória, obrigado a ganhar para alimentar a esperança na permanência, entrou a todo o gás, conseguindo chegar a uma vantagem de 3-0 nos primeiros 12 minutos. Bruno Gonçalves, autor dos primeiros dois golos aos trÊs e sete minutos, e Rúben Domingues, marcador do terceiro (12’), estiveram em evidência ao mostrarem-se eficazes em zona de finalização.

A formação de Oliveira de Azeméis, que aos 11 minutos viu o guarda-redes Côco ser expulso, não se intimidou pelo mau começo de jogo e, logo no minuto seguinte (13’) a ter sofrido o 3-0, encurtou para 3-1 a distância no marcador por intermédio de Miguel Costa. Ainda antes do intervalo, período em que o Vitória foi a melhor equipa e teve níveis de eficácia mais elevados, Rúben Bento apontou o 4-1, resultado com que os setubalenses recolheram aos balneários.

Com o jogo aparentemente bem encaminhado e uma vantagem de três golos no marcador, quando começou a segunda parte poucos adivinhariam que os últimos 20 minutos de jogo seriam tão complicados para os anfitriões, que não permitiram que o Futsal Azeméis marcasse dois golos em um minuto. Lionel Sang e Miguel Costa, aos 28 e 29 minutos, respectivamente, foram os homens que colocaram o resultado em 4-3.

O Vitória respondeu aos tentos do oponente com um golo de Simão Fernandes, à passagem da meia-hora de jogo. No entanto, o 5-3 não demorou muito tempo a ser desfeito, uma vez que Miguel Costa fez, aos 32 minutos, o segundo golo da sua conta pessoal e o quarto da sua equipa, colocando o marcador em 5-4. Apenas a um golo de distância do empate, cenário que o Vitória procurou evitar a todo o custo, os forasteiros despejaram um balde de água fria no pavilhão quando Fernando Nogueira, aos 37 minutos, apontou o 5-5.

Com menos de três minutos para jogar, o Vitória sabia que só um golo nos derradeiros instantes da partida poderia valer-lhe o êxito e a consequente continuidade no Campeonato Nacional de futsal da 2.ª Divisão. Conscientes de que o objectivo só seria assegurado com a obtenção de um golo, os adeptos presentes no pavilhão redobraram o seu apoio à equipa que corresponder aos incentivos na busca incessante pelo golo que viria a surgir aos 38 minutos.

A cumprir a sua época de estreia no Vitória, Gonçalo Banha, fixo de 22 anos de idade, foi o herói ao apontar o tento que deu a vitória à equipa treinada por Naná, nome por que é conhecido na modalidade Fernando Paiva. Depois da explosão de alegria dentro e fora da ‘quadra’, os setubalenses cerraram fileiras para segurar o 6-5 até ao apito final, lançando a festa no pavilhão Antoine Velge.

Em relação à constituição da equipa, os setubalenses alinharam de início com Carlos Pedreiro, João Velez, Simão Fernandes, Bruno Santos e Rúben Domingues. No decorrer do jogo, Naná lançou em campo todos os atletas que tinha disponíveis no banco de suplentes: Rafael Castanheira e Tiago Correia (guarda-redes) e Francisco Oliveira, Miguel Garcia, Sérgio Silva, Vasco Gonçalves, Gonçalo Banho, Luiz Fassy e Rúben Bento.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -