23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Sadinos vencem Barreirense e ficam a um êxito da fase de subida à Liga 3

Sadinos vencem Barreirense e ficam a um êxito da fase de subida à Liga 3

Sadinos vencem Barreirense e ficam a um êxito da fase de subida à Liga 3

Dos actuais sete primeiros classificados, equipa de José Pedro foi a única a ganhar na jornada 22

 

 

- PUB -

Depois de vencer este domingo, por 1-0, na casa do vizinho Barreirense, em partida da 22.ª jornada da série D do Campeonato de Portugal, o líder Vitória ficou a um pequeno passo de assegurar um lugar na fase de subida à Liga 3. O golo apontado por Caleb, aos 26 minutos, permitiu aos sadinos aumentar a distância para os clubes que estão entre a 2.ª e 7.ª posição, uma vez que nenhum deles venceu na ronda de ontem.

Com quatro jornadas por realizar na fase actual (12 pontos em disputa), os vitorianos somam 48 pontos, mais quatro que o Moncarapachense e 10 que o Lusitano de Évora (clubes que empataram 0-0), respectivamente, 2.º e 3.º classificado, que ainda podem matematicamente alcançar os homens treinados por José Pedro. Quer isto dizer que se o Vitória ganhar no fim-de-semana na recepção ao Juventude de Évora assegura a presença na fase de subida.

No campo da Verderena, recinto onde os vitorianos voltaram a estar em peso no apoio à equipa, as dificuldades foram as esperadas num jogo em que se reencontraram dos emblemas históricos que no passado discutiram muitos duelos no principal escalão do futebol nacional. Um dado a reter após o êxito (1-0) no Barreiro é o facto de o clube ter mantido a sua baliza a zeros pela 13.ª vez em 22 jogos.

- PUB -

No onze escolhido para o embate no Barreiro, o treinador José Pedro promoveu duas alterações em relação à ronda anterior com o Sintrense. João Marouca e Tuga acturam de início em detrimento de Flavinho e Heliardo, que começaram como suplentes num jogo em que Tiago Neto, Joel Monteiro, Tiago Duque, Lourenço Henriques, Gonçalo Maria, António Montez, Paulo Lima, Mauro Antunes, Marouca, Caleb, Diogo Sequeira e Tuga foram titulares.

Mais familiarizados com o piso sintético da Verderena, os anfitriões entraram melhor e foram os primeiros a aproximarem-se da baliza quando, aos quatro minutos, na sequência de um canto, Tiago Neto defendeu um cabeceamento adversário. No minuto seguinte, os sadinos responderam da mesma forma num remate de cabeça de Diogo Sequeira, após cruzamento de João Marouca, que passou muito perto da baliza de Pardana.

Depois do arranque prometedor em que ambas as equipas não se coibiram de atacar, a partida passou por uma fase de estudo mútuo em que Barreirense e Vitória estiveram mais contidos. Antes dos 20 minutos, nas ocasiões em que chegava à área dos alvi-rubros, o Vitória, pouco certeiro na finalização, deparou-se com a atenção da defesa contrária que ia mantendo a sua baliza em segurança.

- PUB -

Aos 20 e 21 minutos, respectivamente, João Marouca e Diogo Sequeira, jovens formados na ‘cantera’ sadina, deixaram em sobressalto a turma local em remates desferidos à baliza que passaram sobre a trave. Depois dos avisos, os verdes e brancos inauguraram o marcador, aos 26 minutos, na sequência de um livre directo superiormente apontado pelo médio brasileiro Caleb. A ganhar por 1-0 antes da meia-hora de jogo, o Vitória, apesar da tentativa de reacção do Barreirense, guardou a vantagem até chegar ao intervalo.

Na segunda parte, o conjunto do Barreiro entrou forte e desde cedo começou a mostrar que a partida estava longe de estar resolvida. Com os anfitriões por cima do jogo e dando claras mostras de inconformismo, os sadinos só não sofreram o empate, aos 50 minutos, porque o remate de Bandeira passou ao lado da baliza de Tiago Neto.

O susto provocou uma reacção nos vitorianos que causaram perigo, aos 55, em mais uma jogada protagonizada por João Marouca e Diogo Sequeira. Depois de sacudirem a pressão inicial do Barreirense, os setubalenses passaram a estar mais tempo instalados no seu meio-campo ofensivo sem, no entanto, conseguirem causar oportunidades flagrantes de golo junto da baliza de Pardana.

Na recta final do encontro, não obstante a intensificação da pressão do adversário, os comandados de José Pedro continuaram a chegar a zonas de finalização e a estar maia perto do golo. Aos 78 e 82, António Montez e Diogo Sequeira remataram e só não celebraram o segundo dos setubalenses porque o guarda-redes Pardana se opôs aos remates com defesas atentas.

Antes do apito final, já depois de Daniel Carvalho e Flavinho terem substituído Caleb e Diogo Sequeira, aos 90+2 minutos, o Barreirense dispôs de uma derradeira oportunidade para chegar ao empate. Ao Vitória, que voltou a ter centenas de adeptos seus a assistir a um jogo fora de portas, valeu uma boa intervenção do jovem guardião Tiago Neto para manter a baliza a zeros e garantir os três pontos no duelo com o vizinho Barreirense.

 

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -