24 Maio 2024, Sexta-feira

- PUB -
Recusa de garantia dos terrenos à SAD obriga-a a encontrar outras garantias

Recusa de garantia dos terrenos à SAD obriga-a a encontrar outras garantias

Recusa de garantia dos terrenos à SAD obriga-a a encontrar outras garantias

87% dos votantes aceitaram doação de terrenos e 69% recusaram dá-los como garantia à SAD.

 

Dos 604 sócios do Vitória Futebol Clube que exerceram o seu direito de voto na Assembleia Geral Extraordinária, realizada terça-feira, uma esmagadora maioria (87%) disse “sim” à aceitação da doação da Câmara Municipal de Setúbal, de 65 lotes de terrenos em Praias do Sado. Menos avassaladora, mas ainda assim com mais de dois terços dos votos (69%), foi a decisão de recusarem dar os mesmos lotes como garantia de pagamento de dívidas fiscais da SAD à Autoridade Tributária, obrigando a SAD a encontrar outras garantias para fazer face a esses encargos.

- PUB -

Depois das urnas terem encerrado às 20 horas na Sala do Bingo, do Estádio do Bonfim, foi necessário esperar cerca de duas horas para que os resultados fossem conhecidos e mais tempo ainda para que os mesmos fosses divulgados na página oficial do clube. Os números apurados foram os seguintes no primeiro boletim (de cor verde): Sim – 527 (87%), Não – 67 (11%), Brancos – 6 (1%) e Nulos – 4 (1%).

Ao aceitarem a doação da autarquia, de 65 lotes de terrenos localizados em Praias do Sado, num valor global que ultrapassa os 800 mil euros, “o Vitória aceitou a doação dos terrenos feita pela Câmara Municipal e os terrenos ficam sendo propriedade do clube, livres de ónus e encargos”.

Em relação à segunda pergunta (boletim de cor branca), que na realidade era a que suscitava maior curiosidade, uma vez que, conforme O Setubalense – Diário da Região testemunhou à porta do Bingo, todos os sócios presentes estavam seguros do “sim” claro à primeira questão, os resultados foram os seguintes: Sim – 172 (28%), Não – 414 (69%), Brancos – 13 (2%) e Nulos – 5 (1%).

- PUB -

Conforme explicou o presidente da mesa da Assembleia Geral (MAG), Cândido Casimiro, no comunicado emitido ao final do dia aquando da divulgação dos resultados do escrutínio “isto significa que a Assembleia Geral não autorizou a Direcção a dar os referidos lotes de hipoteca à Autoridade Tributária para garantir dívidas da SAD, pelo que esta terá de encontrar outras garantias”.

Numa noite que foi longa e em que vários adeptos permaneceram nas imediações da Sala do Bingo até ao encerramento daquele espaço, muitas dezenas de associados passaram pelo Bonfim já depois das urnas estarem encerradas. Alguns vitorianos, pensando que a votação era até às 22 horas, desconhecendo que as mesas tinham encerrado às 20 horas, já não tiveram possibilidade de exercer o seu direito.

Entre os sócios que passaram pelo Bonfim para exercer o seu direito já próximo das 20 horas, destacamos o histórico ex-presidente Fernando Pedrosa, o antigo capitão e treinador Carlos Cardoso, o ex-canididato nas eleições de Janeiro de 2020 Pedro Gaivéo Luzio, bem como o ex-presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar Paulo Mateus.

- PUB -

O líder da MAG, Cândido Casimiro, fez questão de deixar um agradecimento público aos que contribuíram para que a Assembleia Geral Extraordinária se realizasse sem percalços. “Aos vitorianos que asseguraram a presidência das mesas de voto, aos funcionários da Gestão de Sócios, pela entrega, dedicação e profissionalismo demonstrados, apesar da difícil situação em que se encontram, aos funcionários da empresa de segurança “SMA”, um muito obrigado”, escreveu no final do comunicado em que divulgou os resultados da votação.

CFD aguarda esclarecimentos até amanhã

Entretanto, em comunicado enviado ao nosso jornal, João Martins, presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) do Vitória FC, revela que espera ter até sexta-feira os esclarecimentos solicitados no clube. “Sobre transações de jogadores efetuadas pela actual SAD, o CFD solicitou esclarecimentos ao seu Conselho de Administração, via Direcção do clube, indicando o próximo dia 2 como limite para a sua recepção. Depois de analisados e havendo matéria de facto que o justifique, será dado conhecimento aos sócios”.

João Martins esclarece que a apresentação da queixa-crime mencionada num comunicado por si assinado a 18 de Setembro de 2020 é referente a “factos ocorridos em 2019”. “Sobre a existência de processos crimes, já o Conselho Fiscal e Disciplinar se pronunciou sobre a sua existência em comunicado de 18 de Setembro de 2020, referindo ‘sobre factos ocorridos no passado’ e que agora clarifica, factos ocorridos em 2019”.

E acrescenta: “face á notícia divulgada pelo DN de que o Conselho Fiscal e Disciplinar do Vitória FC terá apresentado queixa-crime contra a Direcção do clube por suspeitas de desvio de dinheiro numa transferência, vem este esclarecer o seguinte: a Direcção do Vitória FC não tem qualquer intervenção em transferências de jogadores profissionais de Futebol, só por este facto se pode aferir da veracidade, ou não, desta notícia”.

Plantel voltou a treinar

Depois de no dia anterior se ter recusado a treinar como alerta para os salários em atraso no clube, o plantel setubalense retomou ontem de tarde, no relvado do Estádio do Bonfim, a preparação do duelo da 2.ª jornada da série H do Campeonato de Portugal diante do Juventude de Évora, partida que será transmitida em directo no Facebook e Instagram do Vitória, anunciou o clube na sua página oficial.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -