26 Junho 2024, Quarta-feira

- PUB -
Pichardo conquista prata mas coloca marca do vencedor da prova em causa

Pichardo conquista prata mas coloca marca do vencedor da prova em causa

Pichardo conquista prata mas coloca marca do vencedor da prova em causa

Atleta que treina em Setúbal levanta suspeitas e recorda que adversário festejou “sem ter noção de onde tinha aterrado”

O português Pedro Pablo Pichardo conquistou a medalha de prata na prova do triplo salto nesta terça-feira, em Roma, após saltar 18,04m, sagrando-se vice-campeão europeu. Apesar do grande resultado alcançado, o atleta, que treina na cidade setubalense, levantou muitas questões sobre a marca atingida pelo rival que lhe ‘roubou’ a medalha de ouro.

- PUB -

Com este resultado, o atleta do Benfica, que faz integralmente a preparação no Complexo Municipal de Atletismo de Setúbal, estabeleceu um recorde nacional e alcançou a sua terceira melhor marca na carreira, mantendo Pichardo entre os melhores do mundo na modalidade, sendo neste momento um grande candidato ao pódio nos Jogos Olímpicos Paris 2024.

Já nesta quarta-feira Pedro Pichardo colocou em causa o salto de Jordan Díaz, que lhe tirou a medalha de ouro nos Europeus de atletismo. Foi através das redes sociais que o atleta português defende que “numa competição deste nível não é normal fazer uma grande marca com a régua electrónica desligada”, estranhando que “o atleta (espanhol) saia da caixa de areia a festejar sem ter sequer noção de onde tinha aterrado”.

“Nós, atletas, sabemos que sem nenhuma referência é difícil saber se foi um bom salto ou não, mas ele já sabia!!! Porque nos seus 17,96m estava ligada e no grande salto não? Um minuto depois do seu grande salto, a régua voltou a funcionar e por coincidência eu era o seguinte a saltar. Como é possível? Porque nesse momento a régua electrónica estava desligada? Como sabemos que realmente foi 18.18m?”, escreveu Pedro Pichardo.

- PUB -

O atleta aponto que nunca teve a “necessidade de vir às redes sociais para justificar uma vitória ou derrota”, que nunca precisou de “usar substâncias proibidas para ganhar”, que nunca alterou os “bicos para saltar mais longe” e que nunca usou “influências” para ganhar uma competição.

Ainda assim, o atleta que treina em Setúbal esclarece que “gostaria” que a European Athletics, a World Athletics e os árbitros a cargo “dessem uma resposta e um esclarecimento com brevidade sobre o que aconteceu na régua de salto no momento que o atleta de Espanha faz aquela grande marca”, sublinhou.

Pedro Pichardo junta a prata europeia a um conjunto de títulos alcançados nos últimos três anos, com o ouro em 2021 nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, em 2002 nos Mundiais de Eugene e nos Europeus de Munique e em 2023 nos Europeus de Instambul (indoor).

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -