20 Maio 2024, Segunda-feira

- PUB -
“Não tenho dúvidas de que no final da época estarei no Jamor com todos vós”

“Não tenho dúvidas de que no final da época estarei no Jamor com todos vós”

“Não tenho dúvidas de que no final da época estarei no Jamor com todos vós”

Sadinos peremptórios: “Um obrigado nunca será suficiente, esta será sempre a tua casa”

 

A cumprir a sua sexta época consecutiva no Vitória, o atacante Zequinha, de 37 anos, não conseguiu ontem de manhã esconder a emoção ao despedir-se do clube do seu coração para abraçar um novo projecto no Belenenses, actual último classificado da II Liga, notícia que O SETUBALENSE tinha avançado domingo na sua edição ‘on-line’. Em reconhecimento por tudo o que fez pelo clube, os responsáveis sadinos sublinham que “um obrigado nunca será suficiente”.

- PUB -

Na sala de imprensa do Estádio do Bonfim, o jogador teve ao seu lado o presidente Carlos Silva que frisou a importância do jogador e marca indelével que deixa no Vitória. “Não é um adeus, mas um até já. O Zequinha sabe que faz parte da nossa história e o Vitória faz parte da sua história. Será um até já porque vamos estar sempre juntos, amanhã, hoje e no futuro porque esta será sempre a sua casa”.

O dirigente fez questão de agradecer a dedicação do atleta ao clube em que teve um percurso brilhante – “mais de 350 jogos ao serviço do clube, 203 deles na equipa principal e 52 golos” – ao serviço do Vitória. “Desejo pessoalmente e em nome de todos os vitorianos a melhor sorte do mundo. Que a nova etapa tenha muitas glórias”.

Apesar da mudança para o Estádio do Restelo, onde terá como missão contribuir com golos para ajudar à permanência do Belenenses, Zequinha vai torcer por fora pelos sadinos para que sejam campeões do Campeonato de Portugal. “Abracei um novo projecto em que não tenho dúvidas de que vou vencer. Continuarei a apoiar o Vitória e não tenho dúvidas de que no final da época estarei no Jamor com todos vós”, vaticinou em alusão ao jogo do título que será disputado no Campeonato de Portugal.

- PUB -

O atacante, que garantiu na sua intervenção ter-se tratado de “uma decisão ponderada e pensada”, sublinhou, a começar pelo presidente Carlos Silva, “o apoio incondicional” dos adeptos. “Como todos sabem, o Vitória é o meu clube e continuarei a ser o vitoriano incondicional que sempre fui até aqui. Apoiarei sempre a equipa e os meus colegas. É um até já”.

O atleta setubalense, que no domingo já não fez parte das opções do treinador José Pedro no duelo com o Moncarapachense (triunfo sadino por 1-0), explicou as razões pelas quais a comunicação da saída foi confirmada por si ontem e não no domingo. “Decidi fazer o anúncio hoje (segunda-feira) porque o Vitória teve no dia anterior um jogo importante e não queria, de forma alguma, mexer com o grupo”.

Entre os presentes na sala de imprensa no Estádio do Bonfim esteve a antiga glória vitoriana Fernando Tomé, que fez questão de abraçar Zequinha no adeus ao clube. O jogador não hesitou em incluir o nome do ex-jogador e treinador na sua mensagem de despedida. “Gostava de salientar algumas pessoas que estiveram sempre comigo neste trajecto: o presidente, Alexandre Silva (‘team manager’) e a pessoa que me fazia pensar todos os dias que era um menino de seis anos, o senhor (Fernando) Tomé”.

- PUB -

No comunicado, que emitiu ontem de manhã nas redes sociais Facebook e Instagram, o Vitória frisou que foram “salvaguardados os interesses do clube” na transferência do jogador formado na ‘cantera’ sadina que contabilizou “203 jogos oficiais pela equipa principal do Vitória e 52 as vezes em que nos deu o privilégio de com ele celebrar – repita-se, apenas ao serviço da equipa sénior de futebol”.

E acrescentam: “Porque desde que aqui chegou, um menino pela mão de quem lhe ensinou o valor da vida e o orgulho que é ser Vitória, foram mais de 350 os golos marcados com esta camisola. Zequinha é o maior goleador de sempre do clube no total de todos os escalões e dificilmente, num futuro a médio-longo prazo, perderá a honra desse recorde. Uma marca apenas ao alcance dos predestinados. Que, alimentada com Enorme talento desde os tempos da formação, nos emociona, orgulha e que, hoje, num dia em que viramos uma página desta bonita história, queremos reforçar”.

 

Amor sobrepõe-se às estatísticas

 

No texto, o clube afirma que “muito mais importante do que números ou estatísticas, muito mais importante do que qualquer outra coisa, será sempre o amor. O amor que, no momento mais difícil da nossa História, o levou a escolher ficar. O amor que, quando sentiu não ter forças para continuar, o convenceu a, ainda assim, permanecer. E o amor que, agora, nos leva também a permitir que voe, conscientes não apenas da falta que nos fará, mas sobretudo da importância de saber reconhecer o momento certo para separar caminhos”.

Com dois golos marcados pelo Vitória em 12 jogos na presente edição da série D do Campeonato de Portugal, o atacante, que em 2020 se manteve no clube depois da descida administrativa da I Liga ao terceiro escalão, deixa uma marca indelével na história recente do emblema setubalense que presta a devida homenagem à dedicação de Zequinha. “Ao nosso querido capitão, que, como poucos, foi, é e será sempre um símbolo da nossa história, desejamos o mesmo do que para nós queremos: um infinito sucesso pessoal e desportivo. E agradecemos, conscientes de que um obrigado nunca será suficiente. Esta será sempre a tua casa”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -