23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
“José Pedro e Edinho têm demonstrado o seu valor no projecto actual do Vitória”

“José Pedro e Edinho têm demonstrado o seu valor no projecto actual do Vitória”

“José Pedro e Edinho têm demonstrado o seu valor no projecto actual do Vitória”

Conhecimento profundo do clube e da sua história foram fundamentais para contratações em cargos-chave

 

 

- PUB -

Quando no passado mês de Julho, o Vitória anunciou as contratações de Edinho e José Pedro para os cargos de director técnico e treinador da equipa principal de futebol, respectivamente, clube e SAD entenderam que os dois ex-atletas sadinos poderiam ser mais-valias no projecto para 2023/24, época em que o clube tem como objectivo ascender do Campeonato de Portugal à Liga 3.

O presidente Carlos Silva, que já assumiu que “a principal meta no campeonato é, sem dúvida, a subida de divisão”, vinca os papéis de relevo que ambos representam. “Tanto o José Pedro como o Edinho foram atletas do clube no passado, o que lhes proporcionou uma compreensão íntima da cultura e dos valores do Vitória. Essa ligação anterior ao clube é um activo importante, pois permite que compreendam as necessidades específicas do Vitória e se identifiquem com os objectivos do clube”.

O dirigente, que se encontra em funções desde Dezembro de 2020, ressalva que “José Pedro e Edinho não foram escolhidos apenas por causa das suas histórias no clube, mas também porque se alinham com as referências e objectivos definidos para o Vitória”, disse a O SETUBALENSE, vincando as suas “experiências como atletas do clube e a sua dedicação ao Vitória ao longo dos anos, factores que reflectem o compromisso com o sucesso do clube”.

- PUB -

E acrescenta: “A contratação de José Pedro para o cargo de treinador e de Edinho para o cargo de director basearam-se em várias razões, incluindo a sua conexão com o clube no passado e a mais-valia que trazem para o projecto actual. Era fundamental que as contratações feitas para cargos-chave no clube fossem a de pessoas que conhecessem profundamente o Vitória e a sua história”.

Carlos Silva destaca ainda a forma apaixonada como os dois antigos jogadores vivem o clube, bem como o trabalho feito até aqui que permite ao clube ocupar o 2.º lugar da série D do Campeonato de Portugal e manter-se em prova na Taça de Portugal. “As suas experiências no futebol e a sua paixão pelo Vitória são características que se encaixam perfeitamente na cultura e na identidade do clube. Tanto o José Pedro como Edinho têm demonstrado o seu valor no projecto actual do Vitória”.

No momento de especificar a forma como ambos acrescentam valor ao projecto, o presidente é peremptório. “José Pedro tem contribuído com a sua experiência e conhecimento táctico para melhorar o desempenho da equipa de futebol, enquanto Edinho numa outra função, também tem contribuído para o momento atual do Vitória. As contratações de ambos têm sido bem-sucedidas até agora, e a sua ligação ao clube continua a ser uma mais-valia para o Vitória”.

- PUB -

 

Hugo Pinto destaca “competência”

 

O gestor Hugo Pinto, de 36 anos, detentor de 89% do capital da SAD, está em sintonia com o presidente do clube na hora de apontar as razões que levaram à escolha do treinador José Pedro e do director Edinho, decisão que “foi feita em conjunto por toda a estrutura”, frisou. “O José Pedro e o Edinho são elementos que conhecem muito bem o clube e que têm a capacidade de incutir em quem chega o ‘espírito Vitória’”.

O investidor refere, no entanto, que outros factores foram decisivos no momento em que a decisão foi tomada. “Não estariam connosco se não fossem sobretudo pessoas extremamente competentes dentro das suas respectivas áreas. A decisão de apostar em antigos atletas do Vitória foi uma estratégia consciente, com o objectivo de trabalharmos com profissionais capazes, que tivessem já uma ligação emocional e uma compreensão profunda da realidade do clube, contribuindo assim para a coesão e identidade dentro da equipa”.

 

Taça encarada “jogo a jogo”

 

Questionado sobre as metas que deseja ver atingidas pela equipa principal de futebol em 2023/2024, Carlos Silva aponta o campeonato como prioridade, mas não esconde o desejo de ir o mais longe possível na Taça de Portugal, prova em que os sadinos defrontam no sábado o Penafiel, a contar para a 4.ª eliminatória. “Na Taça de Portugal, embora o sonho de ir longe na competição seja válido, pela nossa grandiosidade e história, a abordagem é realista. Reconhecendo a competitividade desta prova, a meta é definida jogo a jogo, mantendo uma perspectiva pragmática sobre os desafios que se apresentam”.

Sobre o Campeonato de Portugal, o líder do emblema setubalense frisa a importância de dar continuidade ao trabalho feito até aqui. “A equipa está focada em alcançar resultados consistentes que a coloquem numa posição competitiva para assegurar a subida à divisão superior. O processo de subida de divisão requer um trabalho contínuo e uma busca constante pela melhoria. A equipa está empenhada em aprender com cada jogo, ajustar estratégias conforme necessário e manter um alto padrão de desempenho ao longo da época”.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -