23 Maio 2024, Quinta-feira

- PUB -
Bonfim consagra Vitória B como campeão da 2.ª Divisão Distrital

Bonfim consagra Vitória B como campeão da 2.ª Divisão Distrital

Bonfim consagra Vitória B como campeão da 2.ª Divisão Distrital

Em 30 jornadas, a equipa de Paulo Martins ganhou 19, empatou nove e perdeu duas.

 

O Estádio do Bonfim foi na tarde de domingo palco do jogo da consagração do Vitória B, equipa que ergueu a taça de campeão distrital da 2.ª Divisão da Associação de Futebol de Setúbal. Na partida da 14.ª jornada, que serviu de despedida de uma excelente época, os sadinos empataram (1-1) com o Fabril B num jogo em que Pedro Monteiro inaugurou o marcador para os barreirenses e João Marouca, no segundo tempo, estabeleceu o resultado final.

- PUB -

Já depois de terem assegurado a subida de divisão e o título de campeão em jornadas anteriores, o plantel liderado por Paulo Martins pôde desfrutar de um momento que todos os envolvidos nesta caminhada vão guardar na memória. Afinal, não é todos os dias que se tem a possibilidade de actuar no histórico Bonfim – estádio que alguns jogadores pisaram oficialmente pela primeira vez – e erguer um troféu nesse mesmo dia.

Ao ambiente de festa foi bem evidente ainda antes do apito inicial do árbitro Francisco Mendes. Além do colorido vindo da bancada coberta do estádio, onde ficaram instalados os adeptos que fizeram questão de ir aplaudir os campeões, no relvado, numa prova de desportivismo, a equipa do Fabril fez guarda de honra aos vitorianos, que sucedem ao Amora B como vencedores do campeonato.

Em relação ao jogo, os comandados de Paulo Martins, que tinha sofrido no Lavradio a única derrota (3-1) desta fase final, sabiam de antemão que o adversário iria fazer tudo para voltar a surpreender. A confirmação de que não iriam pactuar com a festa dos setubalenses ficou bem patente na primeira parte, período que terminou com o Fabril em vantagem no marcador graças ao golo apontado por Pedro Monteiro, defesa, de 20 anos, aos 43 minutos.

- PUB -

A perder por 1-0 ao intervalo, o Vitória, que alinhou de início com um onze constituído por Duarte Viseu, Gabriel Fell, Ricardo Pena, André Lopes, Francisco Nunes, Jaca, Francisco Ascenso, Mamadou Diarra, João Marouca, Diogo Ferreira e Hugo Soares, fez uma alteração no arranque do segundo tempo, lançando o médio Luís Andrade para o lugar do atacante Hugo Soares.

Em termos práticos, a mexida não teve efeitos imediatos. Depois de todas as tentativas de chegar à igualdade se terem revelado infrutíferas na primeira meia hora após o reatamento, o Vitória só conseguiu chegar ao 1-1 à passagem dos 75 minutos. O médio João Marouca, de 23 anos, que marcou pela quinta jornada consecutiva, foi o autor do golo que pôs em festa os setubalenses.

Antes de ter ‘facturado’ na 14.ª jornada, diante do emblema do Lavradio, o médio nascido em Almada já o tinha feito na 10.ª, 11.ª, 12.ª e 13.ª. A 30 de Abril foi decisivo ao bisar no 3-3 frente ao Lagameças; a 7 de Maio fez um dos golos da goleada (2-5) ao Seixal; 14 de Maio foi o dia em que voltou a bisar, desta vez na goleada ao Almada AC; e a 21 de Maio repetiu a dose no 2-6 com que os sadinos venceram na casa do Juventude Sarilhense.

- PUB -

Oriundo do Belenenses, o atleta que chegou ao clube em 2013/14 para representar os sub-15 percorreu desde aí todos os escalões de formação e esteve várias vezes integrado na equipa principal pela qual se estreou, em 2020/21, pela mão do treinador Alexandre Santana no Campeonato de Portugal. Refira-se que do percurso de João Marouca, antes de vestir as cores do Belenenses e Vitória, fizeram ainda em criança também parte o Monte Caparica e Benfica.

Desde 18 de Setembro de 2022, dia em que os vitorianos empataram 1-1 com o União, no Estádio Municipal de Miróbriga, em Santiago do Cacém –, curiosamente o mesmo resultado com que se despediram domingo, diante do Fabril B, do Campeonato Distrital da 2.ª Divisão da AF Setúbal –, o Vitória B somou um total de 19 triunfos, nove empates e duas derrotas em 30 partidas efectuadas.

Na liderança do Vitória B esteve Paulo Martins, treinador de 45 anos, que abraçou o projecto com entusiasmo e competência, que se reflectiram no facto de, logo nos primeiros jogos do campeonato, muitos terem vaticinado que a sua equipa iria ter seguramente ter sucesso. Depois de um vasto currículo como jogador, onde passou por clubes como os Pelezinhos, Vitória, Amora, Seixal, Pinhalnovense, entre outros, o antigo defesa confirmou este ano as suas qualidades como treinador.

Paulo Martins deu os primeiros passos como técnico no U. Montemor e Alcacerense e mudou-se depois para Águas de Moura, em 2018/19 e 2019/20, temporadas de boa memória no clube do concelho de Palmela. A cumprir a sua terceira época no Vitória B, Paulo Martins não esquece os que estiveram ao seu lado na equipa técnica e ‘staff’ este ano. “Depois das emoções vividas quero agradecer e realçar os homens que sem eles nada disto tinha acontecido. Agradecimento especial a Henrique Cabumba (adjunto) que juntos conseguimos transmitir ao grupo de trabalho um pouco da responsabilidade de vestir a camisola do Vitória”, escreveu na sua conta de Facebook.

Partilhe esta notícia
- PUB -

Notícias Relacionadas

- PUB -
- PUB -