1 Fevereiro 2023, Quarta-feira
- PUB -
InícioDesporto“Dentro das nossas possibilidades e sem loucuras queremos sair rapidamente da Liga...

“Dentro das nossas possibilidades e sem loucuras queremos sair rapidamente da Liga 3”

“Vitória é gigante e tem todas as possibilidades para poder estar noutros patamares”, afirma o dirigente de 37 anos

 

- PUB -

Para quem não o conhece, quem é Bruno Sousa, o novo director desportivo do Vitória?

Estou ligado ao futebol desde os sete anos, primeiro como jogador, não profissional, até aos 20 anos. A partir daí comecei a tirar cursos de treinador, aos 22 comecei a treinar equipas de formação, aos 25 convidaram-me para pertencer a uma estrutura directiva e foi aí que comecei a perceber que tinha muito mais gosto na parte da direcção desportiva do que no treino. Começaram a surgir algumas propostas nessa área e as coisas começaram a correr bem.

Como por exemplo?

- PUB -

Tive uma passagem pelo Salgueiros, clube onde fiz a minha formação como jogador. Convidaram-me para um projecto aliciante num momento muito difícil que o clube atravessava. Dentro das limitações que o Salgueiros tinha, as coisas correram bem. Depois convidam-me para a AD Oliveirense, do Campeonato de Portugal. Quando entrei em Janeiro a equipa estava a 16 pontos da linha de água, num ano em que desciam seis equipas, e tinha quatro meses de salários em atraso. Quando cheguei reestruturei o clube e conseguimos salvar-nos da descida. Foi um projecto que me deu imensa luta e em que conseguimos os objectivos. Depois surgiu a possibilidade de ir para o Marinhense, clube que lutava pela manutenção no Campeonato de Portugal, e acabou por marcar presença na fase de subida.

E agora segue-se o Vitória…

Sim. É até ao momento o maior desafio que tenho como director desportivo. Aceitei vir para um clube gigante que tem todas as possibilidades para poder estar noutros patamares. Estou determinado a fazer parte dessa caminhada.

- PUB -

O que o levou a aceitar o cargo de director do futebol profissional do Vitória?

Quero estar sempre nos melhores. Pela história e dimensão que tem, o Vitória é aliciante para qualquer pessoa. O clube tem todas as condições para estar em patamares de outra dimensão. O passado recente é difícil e levou o clube a estar nesta Liga 3. Dentro das nossas possibilidades e sem loucuras, queremos sair rapidamente da Liga 3. Vamos trabalhar para isso e tenho a certeza de que o vamos conseguir.

O objectivo do clube em 2022/23 passa claramente pela subida de divisão?

O Vitória não é um clube qualquer e todos aqui querem ganhar os jogos todos. Não há ninguém que faça um plantel que não seja para ganhar. Num clube com a dimensão do Vitória é impossível não dizer que se quer subir de divisão ou que não se vai lutar para o fazer. O Vitória neste momento está na Liga 3, mas se estivesse na II Liga o pensamento seria, com certeza, igual. Queremos ganhar os jogos todos para chegarmos rapidamente ao patamar que queremos. Toda a direcção vai fazer tudo para o Vitória subir de divisão.

 

“Temos identificado o que que queremos”

 

O que está a ser feito para alcançar essa meta?

Quando cheguei ao Vitória havia 19 jogadores com contrato da época passada. Além destes, havia outros que estavam em final de contrato e com os quais decidimos não renovar, uns por nossa opção e outros por opção dos jogadores. Falamos de um total de cerca de 30 jogadores. Temos de preparar a próxima época e estamos a fazê-lo já há bastante tempo. Temos as nossas escolhas praticamente definidas e temos identificado o que que queremos. Trabalhamos para arranjar soluções dentro do que tínhamos e procurando fora. Estamos a reestruturar tudo. Dos 19 jogadores que têm contrato vamos ver o que acontece. Tem de estar toda a gente envolvida nos objectivos que temos para o clube.

Foi apresentado como sendo “especializado na identificação e valorização de jogadores”. Grande parte do sucesso vem desse trabalho?

Além de uma equipa supercompetitiva e que pense sempre na vitória, temos de ter activos que valorizem o clube. Como todos sabem, nesta Liga o clube tem receitas muito reduzidas. A única receita que podemos ter é através da valorização dos activos. Quando se constrói um plantel, temos de pensar nisso tudo. Para mim, é fundamental descobrir alguns jogadores que possam trazer retorno financeiro.

Como está a ser trabalhar com o treinador Micael Sequeira e com o investidor da SAD Hugo Pinto?

É muito fácil. Quando abraço qualquer projecto tenho de saber excatamente com quem estou a trabalhar e o que as pessoas pretendem. Sei perfeitamente o que o Hugo (Pinto) quer. Quando contratei o Micael (Sequeira) também fiquei a saber o que pretende de carreira, os jogadores que precisa e como gosta de trabalhar. Como é óbvio, tento fazer o possível para lhe dar esses jogadores para ter as armas que necessita para estarmos mais fortes. A relação com o treinador tem sido excelente.

Quando pensam poder fechar as primeiras contratações? O que nos pode adiantar?

Posso adiantar que vamos começar os exames médicos a 7, 8 e 9 de Julho e nessa data quero ter o plantel encerrado. Quero que toda a gente se apresente no primeiro dia. Percebo que os adeptos estejam ansiosos, é normal que assim seja e ainda bem porque é sinal que se interessam pelo clube. No entanto, primeiro quisemos resolver a situação dos jogadores que estavam cá. Os adeptos podem ficar totalmente sossegados porque vamos começar no primeiro dia com o plantel fechado.

Comentários

- PUB -

Mais populares

Autoeuropa anuncia unidade 1 milhão do T-Roc que vai rodar noutro continente

Número redondo foi anunciado pela direcção da fábrica de Palmela. Automóvel já tem destino traçado

O sangue e o oxigénio dos Tribunais

Ninguém duvida que os oficiais de justiça são essenciais para a Administração da Justiça.

Sexta-feliz chega ao concelho para dar “mais tempo” aos funcionários

PartYard decidiu dar as tardes de sexta-feira aos trabalhadores para melhorar o seu rendimento
- PUB -