8 Agosto 2022, Segunda-feira
- PUB -
InícioDesportoVitória sem capacidade para evitar goleada (6-0) na Luz

Vitória sem capacidade para evitar goleada (6-0) na Luz

Uma semana depois de ter sido eliminado pelo Benfica na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal (2-0 para o conjunto lisboeta), o Vitória de Setúbal voltou ontem, em partida da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, a sair derrotado do Estádio da Luz, desta vez com um resultado mais desnivelado: 6-0. Os sadinos jogaram a segunda parte em inferioridade numérica devido à expulsão de Nuno Pinto (45 minutos), factor que ajuda a explicar a goleada sofrida.

- PUB -

A estratégia sadina começou a cair por terra logo aos sete minutos, altura em que o veterano Luisão inaugurou o marcador para as águias. Ainda na primeira parte, os comandados de Rui Vitória ampliaram a vantagem para 2-0 com um golo apontado pelo avançado Jonas, que consolidou o estatuto de melhor marcador do campeonato.

Com um onze inicial constituído por Cristiano, Arnold, Vasco Fernandes, Semedo e Nuno Pinto, Nenê Bonilha, Podstawski, Costinha, André Sousa João Amaral e Gonçalo Paciência, o treinador José Couceiro viu do banco de suplentes a sua equipa encaixar o 1-0 num lance de bola parada. Pizzi cobrou um livre para a área e Jardel assistiu, de cabeça, Luisão, que desviou para o golo.

Em desvantagem no marcador, o conjunto setubalense tentou reagir e, aos 22 minutos, quase conseguiram repor a igualdade. Costinha rematou de longe e a bola sobrou para Gonçalo Paciência que rematou à baliza, mas André Almeida deu o corpo à bola evitando males maiores para a baliza do guarda-redes Bruno Varela.

- PUB -

Apesar da tentativa, os benfiquistas, que na próxima jornada defrontam o actual líder FC Porto, no Estádio do Dragão, não pararam de visar a baliza de Cristiano. O guarda-redes, que substituiu o habitual titular Trigueira, viu o perigo rondar a sua baliza aos 39 minutos. Luisão cabeceou e Cristiano, que fez o seu primeiro jogo pelo Vitória no campeonato, não arriscou, desviando por cima da trave.

Na cobrança de um canto, na jogada imediata, os encarnados dilataram a vantagem para 2-0, mas uma vez na sequência de um lance de bola parada. O artilheiro do campeonato, Jonas, cabeceou certeiro, após canto de Pizzi. Aos 45 minutos, a tarefa dos sadinos ficou ainda mais complicada, uma vez que o defesa Nuno Pinto, que já tinha sido advertido aos 34 minutos, viu o segundo cartão amarelo e consequente vermelho, após falta cometida sobre Luisão. Antes do intervalo, Cristiano impediu que os anfitriões voltassem a marcar ao opor-se com uma boa defesa a um cabeceamento de Jonas.

Se argumentos para evitar humilhação

- PUB -

Após o intervalo, com mais um jogador em campo, o Benfica chegou facilmente à goleada. Sálvio, aos 48 minutos, após assistência de Pizzi, desviou a bola do guardião sadino, fazendo o 3-0. Sem surpresa, aos 66 e 68 minutos, as águias voltaram a facturar. Jonas (bisou) e André Almeida foram, respectivamente, os marcadores de serviço do 4-0 e 5-0 numa altura em que o domínio encarnado era avassalador.

Até ao apito final, o Benfica, que após a eliminação das competições europeias na passada quarta-feira está agora totalmente focado nas provas internas, continuou em busca de golos. Para os sadinos a humilhação foi ainda maior quando sofreram o 6-0, aos 87 minutos, num lance em que Cristiano ficou péssimo na fotografia. O sérvio Zivkovic rematou e o guardião deixou a bola escapar para dentro da baliza, fazendo o 6-0 final.

 

Comentários

- PUB -

Mais populares

Histórica estação rodoviária na 5 de Outubro vai dar lugar a supermercado Continente

Edifício está a ser alvo de estudos há cerca de uma semana, com o objectivo de abrir espaço do grupo Sonae

Hospital da Luz Setúbal confirma nova clínica no centro da cidade

Dr. José Ferreira Santos, director clínico do estabelecimento, confirma pólo adicional para aproximar clientes do centro hospitalar

João Martins: “Deixo uma casa com bom nome e reconhecida”

Criou, desenvolveu e consolidou a Escola Profissional do Montijo (EPM). Ao fim de 29 anos e uns pozinhos, o professor decidiu passar o testemunho
- PUB -